Pequena perda de peso já traz benefícios

Perder apenas poucos quilos pode diminuir o risco de problemas de saúde graves em obesos adultos, sugere novo estudo.

Os pesquisadores analisaram 40 pessoas obesas que perderam 5 por cento, 10 por cento e 15 por cento do seu peso. O estudo, publicado em 22 de fevereiro na revista Cell Metabolism, descobriu que 5 por cento de perda de peso foi suficiente para reduzir fatores de risco para diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

“Estes resultados demonstram que você obtém um grande retorno para seus investimentos com apenas 5 por cento de perda de peso”, disse Samuel Klein, da Universidade Escola de Medicina de Washington em St. Louis, um dos autores do estudo, em uma nota de imprensa do jornal.

“Com base nestes resultados, devemos pensar em mudar as diretrizes de controle de obesidade atuais para enfatizar um objetivo de perda de peso de 5%, em vez dos de 5 a 10% de perda de peso que é a recomendação atual, o que aumenta a percepção de fracasso quando os pacientes não conseguem perdas de peso que são superiores a 5%”, disse Klein.

A obesidade é um fator de risco para doenças crônicas, como diabetes, doenças cardíacas e câncer. A maioria das diretrizes de tratamento recomendam que as pessoas obesas a perder de 5% a 10% do seu peso.

Estas descobertas podem ajudar a motivar as pessoas obesas para atingir metas de perda de peso gerenciáveis, disse Klein.

Para uma mulher de 90 quilos, os resultados sugerem a perda de apenas 4,5 quilos pode melhorar seu perfil de saúde.

“Nossos resultados mostram que mesmo uma pequena quantidade de perda de peso tem benefícios de saúde importantes”, disse Klein. “Esperamos que estes resultados encorajem as pessoas obesas a tomar medidas razoáveis ​​para prestarem atenção ao que comem e aumentarem sua atividade física, porque isso vai se traduzir em um menor risco de diabetes e doenças cardíacas.”

Estudos futuros devem examinar os efeitos de pequenas quantidades de perda de peso em outros problemas de saúde ligados à obesidade, tais como artrite e doença pulmonar, os pesquisadores adicionaram.

Por ContaCal

TANGARÁ DA SERRA - CTA-SAE realizou mutirão de testes rápidos

A Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra através do CTA-SAE vem realizando um trabalho de testes rápidos nesta semana.

O Dia “D” foi realizado nesta quinta-feira (23) na Unidade de Saúde da Família do bairro Santa Isabel.

Segundo a coordenadora, enfermeira Claudia Cunha, nesta época de Carnaval são realizadas campanhas sobre os índices de casos de doenças sexualmente transmissíveis.

“Nós estamos intensificando os testes rápidos e com orientação especifica para a população. Fazemos um convite especial aos jovens que nunca realizaram os testes para que a gente possa tentar conscientiza-los um pouquinho antes das festas de carnaval”, disse.

A enfermeira explicou ainda como os testes são feitos e o procedimento realizado, caso o resultado seja positivo. “Para realizar os testes nós precisamos de algumas gotas de sangue que são retiradas da ponta do dedo do paciente. O material é todo descartável e em 15 minutos acontece uma reação com o método de imunocromatografia e a gente já consegue liberar o resultado de triagem. Esses pacientes todos são acompanhados pelo SAE que é o serviço que a gente trabalha em anexo ao Posto Central. Esses testes são uma triagem, a gente faz ainda todos os confirmatórios para saber se é o ou não e daí iniciar o tratamento em cima de cada patologia”.

De acordo com a enfermeira Claudia Cunha, são realizados quatro testes: Hepatite B, Hepatite C, Sífilis e o Vírus do HIV. “Não são todas as sexualmente transmissíveis, mas a gente já consegue ter uma avaliação e uma orientação sobre as outras também. Estamos intensificando as ações no USF do Santa Isabel nesta quinta para dar oportunidade para quem mora no bairro e não consegue fazer em horário comercial. Mas fazemos de rotina no CTA-SAE, em anexo ao Posto Central, das 7h às 10h30 e das 13h às 16h30”, salientou.

Para realizar os testes é necessário um documento com foto e o cartão do SUS; menores de idade devem ir acompanhados de um responsável.

Por Aline Schwaab com Heverton Luiz - Redação Rádio Pioneira

Alimentação rica em vitaminas melhora a circulação

Laranja, mirtilo e alho são alguns dos alimentos que combatem a má-circulação

O funcionamento adequado da circulação sanguínea depende de vários fatores. A má-circulação se traduz em vários problemas como: celulite, varizes, colesterol alto, fadiga, dor nas pernas e inchaço, no caso dos diabéticos ou pessoas com resistência à insulina. Os sintomas são diversos, mas o problema é um só: a má-circulação. 

Uma alimentação rica em vitaminas e minerais moduladores ajuda a manter a integridade dos vasos sanguíneos e, somada à uma hidratação eficaz, garante uma adequada circulação sanguínea. Se você apresenta algum problema referente à circulação ou algum desses sintomas citados, faça um cardápio com os seguintes alimentos: 

1- Acerola, laranja, goiaba, amora e morango 

Alimentos que contêm vitamina C e flavonoides juntos (frutas cítricas e silvestres) fortalecem as paredes dos vasos sanguíneos impedindo os radicais livres de comprometer sua resistência. Além disso, os flavonoides reduzem a fragilidade e o extravasamento de sangue nos vasos.

2- Cebola roxa e mirtilo 

Estudos apontam a quercetina, flavonoide encontrado na cebola roxa e mirtilo, como sendo muito eficiente na prevenção de vasinhos, tendo ação anti-inflamatória. 

3- Abacaxi 

A bromelaína, uma enzima naturalmente presente no abacaxi, tem sido usada no tratamento de varizes, pois pessoas com varizes apresentam dificuldade em degradar a fibrina (proteína), sendo então depositada ao redor dos microvasinhos. A bromelaína consegue quebrar essa proteína, diminuindo este depósito. 

4- Peixes de água fria (salmão) e azeite de linhaça 

Ricos em ômegas, especialmente do tipo 3, esses alimentos ajudam a evitar a formação de coágulos (trombose) e de depósitos de gordura (aterosclerose), aumentando a fluidez sanguínea e reduzindo a pressão arterial. 

5- Suco de uva integral 

Os flavonoides, ácidos fenólicos e o resveratrol encontrados nas sementes e cascas das uvas, possuem atividades antioxidantes, que contribuem para o efeito cardioprotetor, incluindo a habilidade de inibir as atividades de agregação plaquetária e formação de trombose. Além disso, o consumo diminui as chances de obstrução nos vasos sanguíneos e reduz potencialmente os lipídios plasmáticos (desentupimento das artérias). Não podemos exagerar na dose, pois o suco de uva integral apesar de todos os benefícios apresenta alto valor calórico. Deve ser consumido com moderação, recomendado de 1 a 2 copos de 200 mililitros por dia.

6- Alimentos sem glúten 

Alguns estudos demonstram que o glúten em excesso pode prejudicar a circulação, diminuindo o fluxo sanguíneo, especialmente para o cérebro. O glúten está presente nos alimentos à base de trigo, aveia, cevada, malte e centeio. Faça uso de farinha de arroz, fécula de batata, farinha de quinoa e farinha de banana verde no preparo de pães e bolachas. 

7- Amendoim 

Rico em vitamina B3, ele colabora para a vasodilatação sanguínea, melhorando a circulação. Apenas tome cuidado com a quantidade diária, pois é um alimento calórico que deve ser ingerido com moderação. 

8- Gérmen de trigo 

Rico em tiamina (vitamina B1) que melhora a circulação. 

9- Pimenta Cayenna 

Atua como agente excitante por estimular a circulação, podendo prevenir coágulos sanguíneos que causam ataque cardíaco e derrame cerebral. 

10- Alho 

Aumenta a fluidez sanguínea. Pode ser ingerido na comida ou o próprio óleo de alho. 

11- Vinagre de Maçã 

Alimento que melhora a fluidez sanguínea, por ser rico em vários nutrientes como potássio, fósforo, magnésio, enxofre, cálcio, flúor e silício. 

12- Ban-chá 

Chá depurativo, mais conhecido como chá verde torrado, estimula a digestão e acentua a eliminação de toxinas por aumentar a diurese, melhorando a circulação e diminuindo o inchaço. 

13- Castanha da Índia 

Aumenta a resistência dos vasos sanguíneos, facilitando a circulação. 

14- Água 

Essencial para o bom funcionamento do organismo, principalmente no que se refere à circulação. 

Evite os industrializados! 

Evite ao máximo e, se possível, exclua de vez do seu cardápio os chamados "alimentos instantâneos", pois são ricos em sódio. Sopas industrializadas, bolachas recheadas, pães de preparo rápido ou bolos feitos com misturas comerciais; cereais enriquecidos ou de cozimento rápido; bolachas cream cracker; pipoca salgada; picles; batatas chips; embutidos como peito de peru, linguiça, salsicha, paio, presunto cru, mortadela; sopas prontas, temperos prontos e macarrão instantâneo, todos eles são ricos em gorduras, carboidratos refinados e muito sal na composição, o que implica em um valor calórico elevado ou baixo e são as chamadas "calorias vazias". O consumo exacerbado de alimentos industrializados toma o lugar de alimentos in natura, como frutas e verduras e de refeições completas, as quais são substituídas por lanches prontos, que são ricos em glutamato monossódico, que por sua vez é o grande vilão.

Não adianta nada se alimentar direitinho e depois estragar tudo comendo produtos que não são alimentos de verdade! Pense nisso!

NUTRIÇÃO - CRN 19074/SP

Obesidade cresceu 36% entre usuários de planos de saúde

Um estudo feito pelo Ministério da Saúde e a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) revelou que a obesidade entre usuários de planos de saúde subiu 36% em sete anos. Em 2008 o número era de 12,5%, aumentando para 17% em 2015.

Contudo, se os dados considerarem todos os clientes que estão acima do peso ideal, esse índice cresceria para 52,3%. Os números estão presentes na nova edição do Vigitel da Saúde Suplementar, estudo criado para analisar a presença de fatores de risco de doenças crônicas, com excesso de peso, hábitos alimentares, consumo de cigarro e nível de atividades físicas.

Entre maio e dezembro de 2015 foram entrevistadas 30.549 pessoas com plano de saúde em todas as capitais. Os dados mostram a necessidade de aumentar o debate com as agências de planos de saúde, com o intuito de criar alternativas para estimular os clientes a seguirem padrões de vida mais saudáveis.

Os usuários já estão em busca de mudanças positivas, aproximadamente 43% praticam atividades físicas por mais de 150 minutos por semana, um aumento de 16% desde 2008.

No entanto existem outros desafios, ainda existem 16% dos entrevistados que afirmam não realizar nenhum exercício físico nos últimos três meses. Além disso, a alimentação permanece em crise, cerca de 24% dos usuários consumem doces mais de cinco dias da semana, e 27% admitem comer carne com excesso de gordura.

A obesidade é um dos principais fatores de risco para doenças crônicas e cardiovasculares. São consideradas acima do peso pessoas cujo o IMC (índice de massa corporal), que é calculado com base no peso e altura, é igual ou maior que 25kg/m². Já a índice para a obesidade é igual ou maior que 30kg/m².

Nos últimos anos o excesso de peso tem sido crescente também na população em geral. De acordo com dados divulgados pelo ministério em 2016, o índice era de 53%. Especialistas dizem que o crescimento da obesidade no país pode ter relação com aumento do consumo de alimentos processados, baixo estímulo em educação alimentar e prática de atividades físicas.

Atualmente, existem 1.481 programas de prevenção e promoção à saúde por operadoras de planos de saúde. Essas iniciativas não controlam apenas a obesidade, mas também ajudam no combate de tabagismo, estimulam os exercícios físicos e mapeamento precoce de doenças.

Por Minha Vida

VIGILÂNCIA - Ministério da Saúde atualiza casos notificados de febre amarela no país

Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo confirmaram casos da doença. No total, 12,8 milhões de doses extras foram enviadas para os estados com registros de casos, além de outros localizados na divisa com áreas que tenham casos notificados

O Ministério da Saúde atualizou as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. Até esta terça-feira (21), foram confirmados 292 casos da doença. Ao todo, foram notificados 1.337 casos suspeitos, sendo que 919 permanecem em investigação e 126 foram descartados. Dos 212 óbitos notificados, 97 foram confirmados, 112 ainda são investigados e 3 foram descartados. Os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Tocantins e Rio Grande do Norte continuam com casos em investigação e/ou confirmados. 


Portal da Saúde

CARNAVAL 2017 - Ministério da Saúde convoca nova geração a usar camisinha

Casos de HIV/aids em jovens de 15 a 24 anos cresceram 85% nos últimos 10 anos. Para sensibilizar esse público, a campanha deste ano terá personagem distribuindo camisinha em blocos de rua

Incentivar o uso de preservativos, principalmente entre os jovens, é o foco da campanha de prevenção para o Carnaval deste ano, lançada nesta terça-feira (21/2), pelo Ministério da Saúde. Com o slogan “No Carnaval, use camisinha e viva essa grande festa!”, as peças publicitárias trazem o panorama de 260 mil pessoas vivendo com HIV e que ainda não estão em tratamento, e também de 112 mil brasileiros que têm o vírus e não sabem disso. Além de prevenir contra as infecções sexualmente transmissíveis, como a aids, o uso contínuo da camisinha também evita a gravidez indesejada.

Os jovens são o foco da campanha, já que essa é a faixa etária que menos usa camisinha. Pesquisa de Conhecimento, Atitudes e Práticas indica queda no uso regular do preservativo entre os que têm de 15 a 24 anos, tanto com parceiros eventuais – de 58,4% em 2004 para 56,6%, em 2013 – como com parceiros fixos – queda de 38,8% em 2004 para 34,2% em 2013.

Por Nivaldo Coelho, da Agência Saúde

Sífilis: saiba como acontece a doença sexualmente transmissível

Sintomas começam a se manifestar por volta de três semanas após o contágio

Não é novidade pra ninguém que quem tem vida sexual ativa precisa se proteger. As doenças transmitidas por esse contato são muitas, e uma delas é a sífilis. Por isso, entenda como o problema se manifesta e saber como é o tratamento.

Sífilis é uma doença infecciosa sexualmente transmissível. Causada por uma bactéria, ela se manifesta, geralmente, nos órgãos sexuais masculinos e femininos. Mas podem ocorrer também no ânus, na pele, na gengiva, na palma das mãos e na planta dos pés.

Os sintomas da sífilis começam a aparecer mais ou menos na terceira semana após o contágio. Nos homens essas manifestações são mais visíveis do que nas mulheres, já que essas lesões são internas. Muitas delas passam anos sem saberem que estão infectadas. Após a manifestação dos primeiros sintomas, a sífilis tem um período em que todas as lesões desaparecem, o que engana muitos pacientes, que pensam que já estão curados. Mas posteriormente, através da corrente sanguínea, a infecção se espalha para órgãos como o cérebro, o coração, a pele e os ossos. E por ser tão silenciosa, o diagnóstico, muitas vezes, é feito por acaso.

Duas das principais formas de diagnosticar a sífilis são a análise da raspagem da lesão e exames de sangue. Confirmada a doença, o tratamento mais efetivo e barato é feito com base em apenas uma substância: a penicilina. Prevenir a sífilis não é difícil. A prática de sexo seguro com o uso de preservativos é suficiente para manter a doença bem longe. Por isso, use sempre camisinha.

Por DANILO SALA - Minha Vida

Fonoaudiologia

DRA. JULIANA MACCARINI TOLENTINO PERUZZO
CRFA - 6-9346-7
Fonoaudióloga
Rua Roberto Carlos Brolio, 476 - NE - Nossa Sra. Aparecida
Fones: (65) 3382-1373 / 3382-1407
Cep: 78360-000
Campo Novo do Parecis - MT
Ver no Mapa

Mato Grosso registra redução de 91% nos casos de dengue, zika e chikungunya

A vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde registrou redução de 91% na incidência de dengue, febre chikungunya e febre pelo vírus zika durante o mês de janeiro de 2017.

Os monitoramentos, realizados pelos técnicos da Vigilância, até quatro de fevereiro, apontaram que o estado apresentou 969 casos de dengue, quase metade de casos, se comparado com o mesmo período do ano passado. A baixa incidência representa 30 casos da doença a cada 100 mil habitantes.

Em janeiro, 71 municípios notificaram casos da doença, mas até o momento não houve confirmação de óbitos por dengue em 2017. Porém, há três casos em investigação nos municípios de Colíder, Sinop e um em Campo Grande/MS, em que a doença teria sido contraída em Mato Grosso.

A Febre Chikungunya registrou 70 casos, o que representa duas pessoas com a doença em um grupo de 100 mil habitantes e uma redução de 82% dos casos no período de 2016.

Em Janeiro, foram notificados casos em 15 municípios, sendo eles: Alto Araguaia, Barra do Bugres, Barra do Garças, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Cuiabá, Dom Aquino, Guarantã do Norte, Jauru, Juara, Lucas do Rio Verde, Matupá, Primavera do Leste, Querência e Várzea Grande.

O vírus Zika teve 27 casos em janeiro deste ano. No comparativo por habitantes, a incidência é de um caso para cada 100 mil pessoas. Em janeiro, 11 municípios do estado notificaram a doença, sendo eles: Água Boa, Alta Floresta, Arenápolis, Barra do Garças, Campo Novo do Parecis, Feliz Natal, Guarantã do Norte, Poconé, Primavera do Leste, Rosário Oeste, Querência e Várzea Grande.

Mobilização

O início do período chuvoso aumenta o número de criadouros do mosquito Aedes aegypti. Por isso, é necessário aumentar a atenção e os cuidados para evitar os focos do mosquito.

"As ações de mobilização, comunicação e educação em saúde são fundamentais para a mudança de comportamento e adoção de práticas saudáveis para a manutenção do ambiente preservando da infestação por Aedes aegypti", destaca a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Flávia Guimarães.

Arquivo: Veja o Boletim

Por: Julia Graminho | SES-MT

SES/MT terá novo sistema para controle e distribuição de medicamentos

A Secretaria de Estado de Saúde conta, a partir de agora, com o sistema Hórus, uma nova ferramenta que vai auxiliar o Estado a qualificar a gestão da assistência farmacêutica nas três esferas do SUS, e contribuir para a ampliação do acesso aos medicamentos e da atenção em saúde prestada à população. 

Com o novo portal, os 141 municípios podem acompanhar individualmente o uso, estoque e o controle da distribuição de medicamentos em tempo real. 

Para utilizar o programa, os profissionais vão passar por treinamento entre os meses de fevereiro e abril. Atualmente, dois sistemas são mantidos pelo Estado e os valores ultrapassam R$ 200 mil. Com o Hórus, Mato Grosso terá custo zero e, além disso, o sistema possibilita um mapeamento online de todos os municípios.

"É um sistema único, onde teremos acesso aos dados das regionais, por exemplo," destaca a superintendente do atendimento farmacêutico, Fátima Melo. Ela ressalta que a implantação do sistema Hórus faz parte também de uma das exigências do Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) do Tribunal de Contas de Mato Grosso.

"Uma das recomendações do Tribunal é que fosse implantado um sistema público, para diminuir custos. Assim, além dele ser ótimo para a população, também conseguimos atender as recomendações de ação civil pública," conta Melo. 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) trabalha junto com a Superintendência de Atendimento Farmacêutico (SAF) desde dezembro de 2016 para implantar o novo sistema. Após as primeiras reuniões, o secretário estadual da pasta, João Batista Pereira, realizou as primeiras adesões ao sistema. 

"Está tudo alinhado com os secretários. Nesta semana, nos reunimos com representantes do Ministério da Saúde para decidirmos juntos os cronogramas da implantação do sistema. A ideia é que até junho deste ano, o Hórus já esteja funcionando em todos as unidades de saúde do Estado que fazem controle de estoque de medicamentos e insumos e estaremos incentivando para que todos os municípios também façam adesão ao Hórus," enfatizou Fátima Melo.

O sistema Hórus fornece dois módulos de implantação. O Componente Especializado e o Estratégico. Em Mato Grosso, a implantação do sistema será feita em duas fases. Primeiro, a SAF dará inicio ao processo através do Componente Estratégico. Ele será implantado em março no Centro Estadual de Armazenamento e Distribuição de Insumos de Saúde (CEADIS), na Capital, na Regional de Tangará da Serra (240 km de Cuiabá) e em quatro polos do Estado durante atendimento.

O segundo módulo de implantação é o Especializado, que inicia com treinamento e execução nos dias 27 a 31 de março. O sistema também será testado no CEADIS e na Farmácia especializada.

O sistema 

O Hórus é um software livre que será operado pelas secretarias municipais de Saúde e almoxarifados centrais. Ele é integrado ao Cartão Nacional de Saúde e ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, o que permitirá o acompanhamento da saúde de cada paciente. 

De acordo com o Ministério da Saúde, o nome do sistema vem da expressão "Olho de Hórus", símbolo egípcio que significa saúde e felicidade. No contexto do sistema, simboliza o recebimento correto, racionalidade no uso e bom gerenciamento dos medicamentos.

Por Julia Graminho | SES-MT

Angiotomografia

Angiotomografia é um exame de diagnóstico rápido que permite a perfeita visualização das veias e artérias do corpo, utilizando modernos equipamentos em 3D, muito útil na doença coronariana e cerebral.

Para que serve a Angiotomografia

A angiotomografia serve para observar nitidamente a parte interna e externa, diâmetro e comprometimento dos vasos sanguíneos, evidenciando com clareza a presença de placas de cálcio ou de placas de gordura nas coronárias, e também serve para visualizar com clareza o fluxo sanguíneo cerebral, ou em qualquer outra área do corpo, como pulmão ou rins, por exemplo.

Este exame consegue detectar até mesmo as menores calcificações coronarianas resultantes de acumulo de placas de gordura no interior das artérias, que não seriam identificadas num exame comum, como no eletrocardiograma de esforço, por exemplo.
Indicações da Angiotomografia

As indicações da angiotomografia são:
  • em caso de sintomas de doenças do coração;
  • indivíduos com doenças cardíaca instalada;
  • suspeita de calcificação coronariana;
  • verificar eficácia de Stent após cirurgia de ponte safena;
  • aneurisma cerebral;
  • Contraindicações da Angiotomografia
As contraindicações da angiotomografia são:
  • indivíduos alérgicos ao contraste;
  • durante a gravidez;
  • obesidade, por não permitir uma boa visualização do vaso sanguíneo;
  • artéria altamente calcificada;
  • indivíduos com ritmo cardíaco irregular, como na fibrilação atrial, extra-sístole ou com mais de 70 batimentos cardíacos por minuto, que não pode ser diminuído com medicamento.
  • Recomendações para antes do exame
A angiotomografia demora em média 10 minutos, e 4 horas antes de sua realização o indivíduo não deverá comer nem beber nada.

Os medicamentos de toma diária podem ser tomados à mesma hora, mas recomenda-se não tomar nada que contenha cafeína e nenhum medicamento contra a disfunção erétil 48 horas antes do exame.

Minutos antes da realização da angiotomografia o indivíduo deverá tomar um medicamento para diminuir a frequência cardíaca e outro para dilatar os vasos sanguíneos, com o intuito de melhorar a sua visualização das imagens cardíacas.

Fonte: Tua Saúde

Hospital do Homem, em São Paulo(SP), pode ser fechado por falta de pacientes

Com grandes investimentos do governo paulista, Hospital atende em diversas especialidades e tem alto índice de resolutividade para problemas comuns ao sexo masculino

São R$ 2 milhões investidos pelo governo do Estado de São Paulo na compra de equipamentos de ultrassom, urologia, litotripsia (que destrói o cálculo renal através de ondas de impacto), tudo para equipar o Hospital do Homem, que ocupa uma área de 1,1 mil m² e está sediado na Av. Brigadeiro Luis Antonio, Jardim Paulista, em São Paulo.

A unidade reúne especialidades médicas como Andrologia, Patologias da Próstata e Urologia, além dos núcleos de alta resultabilidade (check-up) e de ensino e pesquisa, com Departamento de Patologias da Próstata dividido em dois setores: diagnóstico e tratamento das DST, prostatites (infecções da próstata causadas por bactérias e vírus) e prevenção do HIV e HPV; e tumores (câncer e hiperplasia benigna da próstata).

O Hospital tem ainda área de Urologia, com profissionais de Nefrologia (hipertensão renovascular e transplante renal), Endocrinologia, Neurologia (disfunções da vesícula, uretrais e incontinência urinária) e urologias geriátrica e plástica. No entanto, mesmo com tanta estrutura para tratamento de problemas inerentes ao sexo masculino, o Hospital do Homem pode fechar. Pela falta de público, o uso tem sido pequeno e o alto investimento diante da baixa procura não está justificando a manutenção do Hospital. Se você conhece alguém que precisa de um tratamento específico, indique o Hospital do Homem, ele pode ser a solução.

Hospital do Homem

Av. Brigadeiro Luis Antonio, 2651 - Jardim Paulista

Telefones: (11) 3170-6100 / 3170-6184

Fax: (11) 3284-8650

São Paulo - SP

Fonte: Sociedade Ativa

SES orienta população quanto à vacinação da febre amarela

Diante da incidência de febre amarela registrada no interior do estado de Minas Gerais, e da evidente preocupação da população quanto à incidência da doença do estado, a Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) informa que está monitorando a situação epidemiológica e ambiental da doença em todas as regiões de MT.

De acordo como monitoramento realizado pela SES, até o momento não houve notificação da doença. Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, Mato Grosso teve quatro notificações referentes à febre amarela em 2015 e duas notificações em 2016, porém os laudos não confirmaram a doença.

Vacinas

Em 2015, o estado alcançou 92% de cobertura da vacinação contra a febre amarela. O fechamento completo do sistema para registro das doses aplicadas da vacina, em 2016, só terminará em março deste ano. Até o momento, o estado contabilizou 88% de cobertura da vacina. No ano passado, o estado recebeu 528.100 doses, uma média de 44 mil doses por mês.

Para 2017, o Ministério da Saúde decidiu reforçar a distribuição da vacina contra a doença, repassando aos estados 11,5 milhões de doses. Neste contexto, Mato Grosso recebe na sua rotina mensal em torno de 70 mil doses da vacina, quantidade suficiente para atender as pessoas que necessitam imunização.

A distribuição do medicamento para aos municípios ocorre mensalmente, mediante a solicitação das secretarias de Saúde. O Ministério da Saúde recomenda que sejam vacinadas pessoas que estejam nas áreas de risco ou que vão viajar para as regiões afetadas.

Em situações de emergência, a vacina pode ser administrada a partir dos 06 meses de idade. O indicado, no entanto, é que bebês recebam a primeira dose aos 09 meses e depois reforço com a segunda dose aos 04 anos de idade.

Mato Grosso não está em situação de emergência quanto à doença, mas, a SES orienta que a imunização deve ser feita normalmente, conforme o calendário básico de vacinação do Programa Nacional de Imunização - PNI.

E ainda, ao menor sinal da presença dos sintomas da doença o recomendável é procurar uma unidade de saúde, principalmente se o paciente esteve em área de mata silvestre ou em regiões onde há incidências da febre amarela.

Por Júlia Graminho/- SES

Governo do Estado atinge marca de 10 mil cirurgias realizadas na Caravana da Transformação

Poucos dias antes do encerramento da quarta edição da Caravana da Transformação, que acontece em Jaciara desde o dia 24 de janeiro, o Governo do Estado comemora a marca de 10 mil cirurgias oftalmológicas realizadas desde a primeira edição do programa, que ocorreu em julho de 2016.

De lá para cá, quatro cidades foram sede do "Estado sobre rodas": Barra do Bugres, Peixoto de Azevedo, Canarana e Jaciara. A cada edição, municípios do entorno também recebem atendimento, totalizando assim 123 atendidos, dentre as 141 cidades existentes em Mato Grosso.

"Hoje comemoramos o fato de que todos estes mato-grossenses voltaram a enxergar e de que o Governo do Estado segue firme no propósito de descentralizar suas ações, chegando até o cidadão que está lá na ponta. Esse é o compromisso do governador Pedro Taques: não deixar nenhum mato-grossense para trás", comemorou o coordenador-geral da Caravana da Transformação, secretário de Estado do Gabinete de Governo, José Arlindo de Oliveira.

Até quarta-feira (01.02), 2.773 cirurgias foram realizadas na quarta edição, sendo 2.437 de catarata, 204 pterígio e 132 de yag laser. Em consultas foram realizados 7.437 atendimentos, além dos pós-operatórios, que chegaram a 2.100 realizados. Ao todo, a Caravana da Transformação ofereceu 41.097 procedimentos em oftalmologia.

Histórias da Caravana

Se tem uma coisa que Hamilton de Oliveira Brandão entende é de transformação. Carioca, 55 anos, ex-jogador do Flamengo e atual professor de futebol da Escolinha do Valdívia, em Jaciara, Hamilton está entre as 10 mil pessoas passaram pela caravana para realizar cirurgia e surpreendeu a todos que pararam para ouvir sua história.

Com a operação da catarata no olho esquerdo, passou a enxergar mais, mas lembra a todos que essa não foi a primeira vez que passou a ver melhor a vida. Hamilton costuma dizer que foi "do céu ao inferno", de uma vida de dinheiro e fama ao mundo à escuridão das drogas.

Jogador de futebol no auge dos seus 20 anos, o carioca realizou um de seus maiores desejos: jogar pelo Flamengo. Entrou para a base do time e teve a oportunidade de ir a campo no dia 25 de outubro de 1981 contra o Campo Grande (RJ): 2x1 para o Mengão.

Foi um ano de ouro para os flamenguistas. Com Zico, o time rubro-negro foi campeão do mundo em 13 de dezembro, em Tóquio (Japão). Hamilton não estava lá, mas viveu toda aquela emoção profundamente. Era uma época de ouro para ele também, pois não faltava dinheiro nem diversão.

Passou por tantos outros times, sempre acompanhado pelo álcool e drogas ilícitas, como a cocaína, e deixou o Rio de Janeiro para jogar em times do interior do Brasil. "Passei pelo Atlético Goianiense e aqui em Mato Grosso pelo Grêmio de Jaciara e pelo União, mas já não conseguia mais por conta da bebida. Não parava em lugar nenhum. Esse pesadelo foi até os 32 anos, quando estava no fundo do poço".

E do fundo do poço ele saiu. Fé, crença, força de vontade, foco, cada um pode interpretar de uma maneira a vida de Hamilton, mas ele atribui seu "retorno à vida" à Jesus Cristo. Encontrou uma religião na qual se sentiu abraçado e desde então vem reconstruindo sua vida.

Voltou a estudar, formou-se em educação física e hoje faz o que mais gosta: dá aula de futebol a meninos que têm o mesmo sonho que ele tinha quando jovem. Além de treinar, compartilha com os alunos suas experiências, erros e acertos, para quem façam boas escolhas.

As mudanças não pararam por aí, casou-se em 2016 e começou 2017 na Caravana da Transformação. Agora se prepara para voltar a campo enxergando o jogo da vida melhor do que antes. 

Fonte: Julia Oviedo e Caroline Lanhi | Gcom-MT

Hospital de Câncer oferece mamografias gratuitas

O Hospital de Câncer de Mato Grosso (HCanMT) oferece mamografias gratuitas para mulheres entre 40 e 59 anos. Para marcar o atendimento basta ligar nos números (65) 3648-7531/3648-7582/3648-7512/36487599 e agendar. Por email o contato é agendamentoexames@hcancer.com.br.

No dia da consulta venha com o cartão do SUS e documentos pessoais. Podem fazer o exame mulheres que não realizaram o procedimento nos últimos 12 meses, sem necessidade de pedido médico.

O objetivo do HCanMT é atender mais mulheres e proporcionar a prevenção ao câncer. A mamografia é realizada no Centro de Prevenção e Diagnóstico de Câncer de Mama Dona Nini Constantino. O serviço é filantrópico e o espaço é mantido por um doador anônimo.

Fonte: Assessoria HCAM

Mais de 4.600 pessoas já receberam atendimento oftalmológico na Caravana

No último sábado (28.01), 3.705 pessoas passaram pela Caravana da Transformação em Jaciara. Durante dois dias, a estrutura da Caravana ofereceu diversos serviços de cidadania. Os atendimentos oftalmológicos seguiram no mesmo ritmo, com agendamentos de municípios e uma média de 800 a mil consultas e 3.000 exames diários.

Neste sábado, 307 pessoas passaram por cirurgia, 923 pessoas por consulta e outras 930 estão agendadas para outros dias. Nos atendimentos pós-operatórios, 299 pessoas foram atendidas e um total de 5.058 procedimentos realizados.

Desde o início das atividades, 4.682 pessoas já passaram pelos atendimentos de saúde da Caravana da Transformação. Número que estava dentro do esperado, segundo o coordenador-geral e secretário de Estado do Gabinete de Governo, José Arlindo de Oliveira. "Para que consigamos atender grande parte da demanda da região é necessária a distribuição destes atendimentos ao longo dos dias. Com isso, todos os municípios são atendidos e nossa capacidade operacional mantida", explica o coordenador.

Os atendimentos em saúde da Caravana da Transformação seguem até sexta-feira (03.02). Neste domingo (29.01), os municípios de Alto Araguaia, Campo Verde, Guiratinga, Juscimeira, Paranatinga, Primavera do Leste e Rondonópolis serão atendidos.

Fonte: Julia Oviedo | Gcom-MT