Estado entrega cadeiras de rodas motorizadas a pacientes do Cridac

Em uma iniciativa pioneira, o Centro de Reabilitação Dom Aquino Correa (Cridac), ligado à Secretaria de Estado de Saúde (SES), está entregando 30 cadeiras de rodas motorizadas para pacientes do centro. A entrega de nove unidades aconteceu durante uma solenidade na tarde desta quarta-feira (29.07), que contou com a presença da equipe do Cridac e familiares dos pacientes. As demais cadeiras serão entregues nos dias 30 e 31 de julho.

O diretor do Cridac, Vicente Herculano, destacou a importância da conquista para os pacientes e o empenho do Governo do Estado em priorizar as ações na saúde. "Hoje demos um grande passo para o processo de reabilitação desses pacientes e também para a história do nosso estado. É a primeira vez que realizamos a entrega desse tipo de equipamento e isso só foi possível porque a atual gestão colocou a saúde como prioridade. Estamos cumprindo um dever não só com o paciente, mas com o cidadão".

Vicente explicou ainda que a ação contemplará, inicialmente, demandas reprimidas de anos anteriores. "Nessa primeira etapa estamos entregando as cadeiras para esses 30 pacientes judiciais, nos resta ainda uma demanda de 74 solicitações de concessão para a cadeira de rodas motorizadas que deverão ser atendidas até o final do ano", disse o diretor.

Para Allan Martins, 22 anos, ter uma cadeira de rodas motorizada é sinônimo de independência. "Hoje é um marco importante não só na minha vida, mas na vida de todos os meus colegas cadeirantes porque a cadeira vai nos proporcionar uma liberdade de irmos aonde quisermos, vamos romper barreiras. Hoje um pouco do céu foi alcançado", comemorou. Satisfeito e feliz, Allan também revelou que ir ao supermercado sozinho é umas das primeiras coisas que deseja fazer.

Já Rantter Gracioli, 26 anos, está ansioso para poder ir sozinho até a cozinha de sua casa e tomar um café. "Agora poderei fazer coisas simples como pegar um copo dágua e me locomover sem a ajuda de alguém", contou Rantter, agradecendo a todos que participaram desse processo. "Quero agradecer a todas as pessoas que se dedicaram para que isso acontecesse, ao pessoal do Cridac e todos os gestores, vocês não sabem a felicidade que proporcionaram hoje a nós", disse sorridente antes de sair do Centro de Reabilitação em sua nova cadeira.

As cadeiras de rodas entregues foram adaptadas à patologia de cada paciente. E para facilitar a adaptação, pacientes e familiares receberam orientações sobre o uso e manutenção do equipamento. Por meio de um controle - chamado "joystick" - a cadeira motorizada possibilita fáceis deslocamentos, proporcionando mais conforto e mobilidade para pessoas com deficiência física severa.

De acordo com a portaria nº 1.272 do Ministério da Saúde, o equipamento é indicado às pessoas que apresentam comprometimento da sua mobilidade, são dependentes de cadeira de rodas para a locomoção e que, por algum motivo, não conseguem impulsionar de forma independente uma cadeira de rodas manual.

Pacientes com patologias como paralisia cerebral, tetraplegia, sequelas de poliomielite, doença neurônio motor, polineuropatia, ditrofia muscular, miopatias congênitas, entre outras são os indicados ao uso da cadeira de rodas motorizada, conforme a portaria do Ministério. Para indicação, o paciente é submetido a uma avaliação realizada por uma equipe multidisciplinar.

Fonte: LORRANA CARVALHO Assessoria/SES-MT

Estado inicia campanha de prevenção contra Hepatites Virais

Com o objetivo de conscientizar a população e reduzir os casos de hepatite em Mato Grosso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) deu inicio a uma Campanha contra a doença. A ação é alusiva ao Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais comemorado nesta terça-feira (28.07) e terá a participação de todos os municípios do Estado. Durante a programação, serão oferecidos testes rápidos para Hepatites B e C, imunização para Hepatite B, orientação e distribuição de material informativo.

Os municípios contarão com apoio do Estado, por meios dos Escritórios Regionais, na distribuição de kits de testes rápidos e insumos necessários e na mobilização junto à população. A Campanha se estende até o dia 30 de novembro.

"É importante aproveitar a data alusiva para estimular a prática de educação em saúde visando à promoção e prevenção da doença", destaca a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da SES, Flávia Guimarães. Para ela o trabalho desenvolvido é uma estratégia para estimular a adesão ao teste rápido, evitando o diagnóstico tardio e consequências como a cirrose ou o câncer de fígado.

A coordenadora destaca ainda que os testes ficam disponíveis para a população no decorrer do ano todo, nas Unidades Básicas de Saúde e que todo o tratamento, assim como a imunização contra hepatite A e B, é ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A hepatite é causada por vírus e compromete o fígado, um dos órgãos mais importantes do corpo humano. As hepatites virais mais comuns são a A, B e C, entretanto, há outros tipos como os vírus D e E. A transmissão dos tipos considerados mais graves - B, C e D, se dá por meio da relação sexual desprotegida, transfusão de sangue e derivados contaminados, uso de drogas, compartilhamento de seringas agulhas, escova de dentes, lâmina de barbear e outros objetos, aleitamento materno e transmissão vertical (de mãe para o bebê, durante o parto).

Um levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que pelo menos 70% da população brasileira já teve contato com o vírus da hepatite A e que aproximadamente 17 mil novos casos de hepatite B são detectados por ano. Além disso, são registrados cerca de três mil mortes por associadas à hepatite C.

Em Mato Grosso, até o momento foram notificados 66 casos de Hepatite A, 236 casos de Hepatite B e 33 casos de Hepatite C. Além disso, foram realizados 32.274 exames sorológicos para hepatite B e 15.601 para hepatite C.

Fonte: LORRANA CARVALHO Assessoria/SES-MT

Governo firma convênio com hospital municipal de Barra do Bugres

Barra do Bugres - O governador Pedro Taques assinou, nesta terça-feira (28.07), um convênio de repasse estadual ao hospital municipal de Barra do Bugres (167 km de Cuiabá). Serão repassados, mensalmente, R$ 712 mil para o custeio da unidade. A assinatura do convênio foi realizada durante audiência pública, realizada na Câmara Municipal dos Vereadores.

Taques destacou que o hospital é de grande valia para a microrregião de Barra do Bugres. "Existem outros municípios ao redor que precisam desse atendimento. Vemos este hospital como fundamental para o bom funcionamento da saúde nesta região", disse.

O chefe do Executivo de Mato Grosso lembrou que o governo tem compromisso de abrir um hospital regional em Tangará da Serra, mas garantiu que mesmo após a abertura da nova unidade, o Estado continuará ajudando na manutenção do hospital de Barra do Bugres.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Marco Bertúlio, a parceria formada entre o Estado e o Consórcio da Região do médio-norte mato-grossense foi estritamente técnica, reconhecendo também a necessidade de ajuda no custeio da unidade hospitalar. "Estamos aqui concretizando um estudo que realizamos", afirmou.

Durante a cerimônia de assinatura, Bertúlio destacou que a ação faz parte da reorganização da rede e o convênio vai melhorar a vida dos moradores da região que não precisarão mais se deslocar até Tangará da Serra para conseguir atendimento.

O prefeito de Barra do Bugres, Julio Florindo, agradeceu ao governador pelo trabalho realizado no município. Para o gestor as realizações do governo vão beneficiar os cidadãos que mais precisam. "O governador está de parabéns, podemos confiar na gestão, pois os compromissos são firmados de acordo com o que pode ser cumprido".

Outras ações

Em seu primeiro compromisso, na viagem ao médio-norte de Mato Grosso, no distrito de Curupira, em Barra do Bugres, o governador Pedro Taques anunciou que o Estado formalizará um convênio com a prefeitura da cidade para pavimentação da vila que abriga cerca de 500 pessoas.

Em seguida, Taques conheceu a construção da nova sede da escola Sabino Ferreira Maia. A unidade escolar era pra ter sido entregue em novembro de 2014. Porém, o contrato foi repactuado e a nova previsão de entrega é para novembro deste ano.

Conforme o secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto, caso o novo prazo não seja cumprido, o governo reincidirá o contrato e realizará um novo edital.

Taques também visitou a atual estrutura da escola que foi construída há mais de 30 anos e hoje possui estrutura precária.

Em Barra do Bugres, o governador conheceu as instalações da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Favo de Mel. No local, ele anunciou que o Núcleo de Ações Voluntárias do governo, coordenado pela primeira-dama Samira Martins, fará uma grande reunião com as Apaes mato-grossenses para buscar uma forma do Estado ajudar no atendimento dos alunos.

O governador também conheceu o projeto Doce Vida, que ensina e provê recreação para crianças do município. O projeto é mantido por empresas privadas.

Fonte: THIAGO ANDRADE Redação/ Gcom-MT

HEPATITE C

A hepatite C é causada pelo vírus VHC transmitido principalmente por sangue contaminado. A infecção pode também ser transmitida pelo contato sexual e por via perinatal (da mãe para filho) sobretudo durante a gravidez e o parto, assim como pelo compartilamento de seringas, agulhas ou de instrumentos para manicure, pedicure, tatuagem e colocação de piercing.

A tendência é os pacientes desenvolverem uma forma crônica da doença que leva a lesões graves no fígado. A evolução da enfermidade costuma ser lenta e o diagnóstico tardio.

Sintomas

Na maior parte dos casos, a hepatite C é assintomática, mesmo quando o fígado já está bastante afetado pela doença.

Em algumas situações, porém, pode ocorrer uma forma aguda da enfermidade, que antecede a forma crônica e provoca os seguintes sintomas: mal-estar, vômitos, náuseas, pele amarelada (icterícia), dores musculares, perda de peso e muito cansaço. Ascite (barriga d’água) e confusão mental podem ser sinais de que a doença atingiu estágios mais avançados.

Em geral, a maioria dos portadores só percebe que está doente anos após o contato com o vírus, quando apresenta um quadro grave de hepatite crônica com risco de desenvolver complicações, comocirrose, câncer no fígado e insuficiência hepática.

Diagnóstico

O principal exame para diagnóstico da hepatire C é a pesquisa de anticorpos contra o vírus VHC, o anti-VHC. Quando o resultado é positivo, a pessoa deve ser encaminhada para exames complementares a fim de esclarecer o quadro e orientar o tratamento, quando e se necessário.

Entretanto é comum a enfermidade ser diagnosticada durante exames de sangue de rotina ou procedimentos para a investigação de outras doenças.

O SUS dispõe de um teste anti-VHC, importante para o diagnóstico da doença, mas que só é indicado caso a pessoa pertença a um grupo de risco (usuários de drogas, tatuados, pessoas que praticam sexo despotregido). No entanto, pessoas que receberam transfusões de sangue antes de 1993 devem fazer esse teste, uma vez que antes dessa data não se conhecia o vírus e o sangue transfundido não era testado.

Vacinas

Ainda não existe vacina contra a hepatite C, mas os portadores do vírus devem receber as vacinas contra as hepatites A e B, a vacina contra gripe todos os anos e a vacina contra pneumonia.

Tratamento

A hepatite C é uma das poucas enfermidades crônicas que pode ser curada. Quando não é possível, o tratamento busca conter a progressão da doença e evitar as complicações.

Os esquemas terapêuticos evoluíram muito com o tempo. Quando o vírus foi descoberto, o tratamento era realizado com interferon alfa recombinante por via injetável, que apresentava baixos índices de resposta e muitos efeitos colaterais indesejáveis.

Mais tarde, o tratamento incluiu a combinação de interferon peguilado (substância antiviral que produz menos efeitos colaterais) injetável por via subcutânea, associado a outra droga antiviral, a ribavirina, administrada por via oral por tempo que varia entre seis meses e um ano, dependendo do genótipo do vírus. Essa combinação promove uma resposta satisfatória em 40% a 50% dos pacientes, número duas ou três vezes maior do que os tratados somente com interferon alfa recombinante.

Interferon e ribavirina são medicações distribuídas gratuitamente pelo SUS. O inconveniente é que provocam efeitos adversos como dores no corpo, náuseas, febre, perda de cabelo, depressão, vômitos, emagrecimento e anemia.

Com a evolução das pesquisas, novos medicamentos com ação antiviral foram incorporados ao tratamento da hepatite C. O telaprevir e o boceprevir fazem parte da classe dos inibidores de protease (enzima necessária para a replicação do vírus), e são distribuídos pelo SUS para os pacientes infectados com o genótipo tipo 1 e doença em estágio avançado.

E os avanços não pararam por aí. Nos primeiros meses de 2015, outros três medicamentos para o tratamento da hepatite C crônica tiveram o registro aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), sem o qual não poderiam ser comercializados no Brasil. São eles: o daclastavir (nome comercial Daklinza), o simeprevir sódico (nome comercial Olysio) e o sofosbuvir (nome comercial Sovaldi). A vantagem sobre os demais é que dispensam o uso do interferon, são administrados por via oral, por menos tempo (12 semanas), produzem menos efeitos colaterais e aumentam a chance de cura para mais de 90% dos casos.

Segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, a previsão é que essas drogas sejam distribuidas pelo SUS, gratuitamente, ainda em 2015.

Recomendações

Como não existe vacina contra a hepatite C, a prevenção depende de conhecer as formas de transmissão do vírus e evitá-las. Portanto,

Não utilize drogas injetáveis nem compartilhe objetos de higiene pessoal (escova de dente, lâminas de barbear), de manicure (alicates, lixas, espátulas), instrumentos para tatuagem que possam conter sangue, porque o VHC chega a sobreviver quatro dias fora do corpo humano;

Verifique, quando for fazer exames, se agulhas ou qualquer outro objeto que entre em contato com sangue é descartável ou está devidamente esterilizado;

Só faça sexo com preservativo sempre;

Antes de engravidar, faça o teste para saber se é portadora do vírus da hepatite C;

Fique longe das bebidas alcoólicas, se for portador do VHC, porque o consumo de álcool aumenta o risco de desenvolver as complicações da doença.

Fonte: Dr. Drauzio Varella

Quando a perda de memória com a idade não representa demência

Quantos de nós, principalmente aqueles que já passaram dos 50, não experimentaram a situação de estar com um nome de pessoa ou objeto conhecido na ponta da língua e não conseguir lembrar, situação essa popularmente conhecida como “deu um branco”? Muitas vezes isto traz preocupação para as pessoas de mais idade, pois consideram esses lapsos como um sinal de declínio da memória e os associam com a possibilidade de estarem iniciando um processo de demência.

Na semana passada foi publicado online uma pesquisa na revista científica Psychological Science, onde foi conduzido um estudo para testar se esses lapsos eventuais de memória estão relacionados com um declínio da memória como um todo, o que poderia ser um sinal de início de um processo de demência.

O estudo foi realizado em 718 adultos de 18 a 99 anos. Foram feitos testes para avaliar dois tipos de lapsos de memória onde foram computados escores:

- o primeiro é a experiência referida pelos pesquisadores como memória “está na ponta da língua”, que é relacionada com nomes de pessoas ou objetos que o indivíduo declarava conhecer, porém não lembrava no momento (“deu um branco”);

- o segundo são os lapsos de memória episódica, que é relacionada à lembrança de eventos da vida do próprio indivíduo, sendo este é o tipo de avaliação frequentemente usado para o diagnostico de demência.

Foi considerado e ajustado aos resultados o fato que indivíduos mais velhos têm uma bagagem de conhecimento maior, e por isso têm mais chances de apresentar os lapsos do tipo “está na ponta da língua”.

HOSPITAIS DE LUCAS DO RIO VERDE

HOSPITAL SÃO LUCAS
Av. Brasil, 120-E - Cidade Nova
Fone: (65) 3549-3241
Cep: 78455-000
Lucas do Rio Verde - MT
+ Informações

MT Hemocentro realiza campanha para cadastro de doadores de medula óssea

Cento e vinte e uma pessoas se tornaram doadoras voluntárias de medula óssea nesta quinta-feira (23.07) durante uma Campanha realizada pelo MT Hemocentro em parceria com a Associação dos Amigos da Criança com Câncer (AACC), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a Justiça Federal. A ação aconteceu na sede da Justiça Federal e recebeu servidores dos órgãos e populares que procuraram o local para realizar o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Para Juciane Siqueira, colaboradora da AACC, a parceria foi de grande importância não só para o MT Hemocentro que conseguiu novos doadores, mas também para as crianças da Associação que ganham novas chances. "É muito importante que atividades assim sejam realizadas porque temos crianças e adolescentes que necessitam dessa doação para ter uma chance de vida e é isso que nós estamos fazendo hoje. Essa parceria é para conscientizar as pessoas da importância do ato e lembrar que elas podem salvar uma vida", destaca Juciane.

A assistente social do MT Hemocentro, Heloise Angélica Dias, destacou que as doações estão dentro da quantidade esperada pela equipe, mesmo não sendo expressivas. "Quando realizamos ações dentro de empresas e instituições nos programamos para receber cerca de 150 voluntários. O saldo dessa parceria foi muito produtivo e positivo, esperamos que iniciativas como essa aconteçam mais vezes", afirmou.

Heloise lembra ainda que o setor de Serviço Social de Doadores do MT Hemocentro, responsável pelo cadastro no Redome, realiza constantemente campanhas em empresas privadas e instituições públicas com o objetivo de disseminar as informações sobre a doação de medula óssea e aumentar, cada vez mais, o número de doadores no estado.

"Com mais gente cadastrada, a probabilidade de encontrar um doador compatível aumenta, assim como a esperança de quem precisa", finaliza a assistente social lembrando que a chance de encontrar uma medula compatível é de uma para 100 mil doadores.

RONDONÓPOLIS - Curso de atualização vai ajudar fisioterapeuta a salvar crianças em estado grave

O atendimento aos pacientes em estado crítico, junto ao Hospital da Criança de Rondonópolis, passa a ser mais eficiente, graças ao investimento feito na capacitação do fisioterapeuta Diorgy Geraldo Paulino Martine que é responsável pelo sistema de ventilação mecânica naquela unidade.

Especialista em terapia intensiva – Diorgy Martine participou do curso de atualização nos novos parâmetros da respiração mecânica, ministrado pela professora doutora Cintia Johnston, nos dias 18 e 19 de julho, em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

O fisioterapeuta foi beneficiado pelo curso de atualização graças à iniciativa do prefeito Percival Muniz que definiu a assistência médica e hospitalar para a comunidade como prioridade das políticas de saúde pública. Essas ações são coordenadas pela secretária Marildes Ferreira.

Diorgy Martine avalia que com os conhecimentos adquiridos vai conseguir fazer uma melhor adequação da criança em estado grave que precisa de aporte respiratório. O curso aconteceu no Centro de Estudo em Fisioterapia –Fisiowork.

Fonte: CORACY LIMA // Gabinete de Comunicação Social

CLÍNICAS DE OFTALMOLOGIA

Clínica de Olhos Dr. Marcelo Miranda
Rua Afonso Pena, 581 - Centro
Fone: (66) 3423-2697
Cep: 78700-070
Rondonópolis - MT
+ Informações

HOSPITAIS DE RONDONÓPOLIS

Hospital Regional de Rondonópolis
Irmã Elza Giovanella
Rua 13 de maio, 2366 - Jd. Guanabara
Fone: (66) 3411-3900
E-mail: hrroo@saude.mt.gov.br
CEP: 78710-080
Rondonópolis/MT
Ver no Mapa

Hospital São José
Rua 13 de Maio, 886 - Centro
Fone: (66) 3423-3637
Cep: 78700-160
Rondonópolis - MT
Ver no Mapa

Hospital São Marcos
Rua João Pessoa, 693 - Centro
Fone: (66) 3423-2002
Cep: 78700-080
Rondonópolis - MT
Ver no Mapa

Homens não conseguem identificar sintomas de andropausa, diz pesquisa

Sintomas afetam homens a partir dos 40 anos. Pesquisa foi realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia.

No Brasil, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia constatou que a maioria dos homens não reconhece os sintomas da andropausa, que atinge os homens depois dos 40 anos.

É fácil perceber quando as mulheres estão entrando na menopausa, elas param de menstruar. Mas para os homens, é um processo que pode se arrastar por anos, sem que eles se deem conta.

A andropausa afeta homens a partir dos 40 anos quando o corpo diminui a produção de testosterona, o hormônio masculino. Alguns dos sintomas são: diminuição do desejo sexual, alteração de humor, perda de massa muscular e aumento gordura corporal, principalmente no abdômen.

Os sintomas podem ser minimizados com uma medição dos níveis de testosterona e reposição hormonal. O problema é que a maioria dos homens desconhece o tratamento.

Uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Urologia mostra que três em cada dez homens atribuem os sintomas da queda de testosterona ao excesso de trabalho ou estresse do dia a dia. Outros acreditam que as causas sejam emocionais. Apenas 15% se dão conta que a andropausa pode ser responsável pelos sintomas indesejáveis. A reposição hormonal tem contra-indicações e, por isso, só deve ser feita com orientação médica.

Fonte: Fernanda GraellRio de Janeiro, RJ - G1

Estado contrata 100 novos leitos para o Pronto-Socorro de Cuiabá

Portaria do Governo atende à determinação judicial e foi publicada no Diário Oficial que circulou nesta quinta-feira (23)

O Governo de Mato Grosso deverá contratar 100 leitos de retaguarda para atendimento médico para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.

A portaria, assinada pelo secretário de Estado de Saúde, Marco Bertúlio, foi publicada nesta quinta-feira (23), em cumprimento a uma decisão judicial que determinou que o aumento de leitos no hospital.

Conforme a publicação, serão repassados R$ 300 para a contratação de cada um dos 100 leitos. O valor mensal, para cuidados e manutenção dos itens, será de R$ 900 mil. A verba deverá ser repassada ao Fundo Municipal de Saúde de Cuiabá. 

Segundo a portaria, a contratação dos leitos obedece trecho da Constituição Federal que afirma que, em situações específicas, os recursos estaduais poderão ser entregues aos municípios por meio de repasse voluntário.

As despesas do incentivo serão obtidas, conforme especifica a portaria, através do Fundo Estadual de Saúde, Ampliação do Acesso de Forma Equitativa e com Qualidade ao Sistema e Serviços de Saúde, Coordenação, Organização e Apoio à Descentralização da Rede de Atenção à Saúde e Repasse Fundo a Fundo.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) deverá encaminhar informações ao Estado sobre os leitos. Deverão ser relatados censos diários, pesquisa de satisfação de usuários, relatórios sobre os pacientes.

Além disso, o repasse mensal só ocorrerá quando o Estado receber relatório assistencial, que deverá ser feito até o décimo dia útil de cada mês.

Governador manda suspender processo licitatório de ambulâncias

O governador Pedro Taques encaminhou à Secretaria de Gestão (Seges) ofício determinando o imediato sobrestamento do processo licitatório destinado a adquirir ambulâncias no valor de R$ 20 milhões.

No documento, o governador também determina que seja atendida, em sua totalidade, a recomendação do Ministério Público do Estado de Mato Grosso; e que todas as informações a respeito do processo licitatório sejam encaminhadas à Controladoria Geral do Estado (CGE).

Além disso, requisita, em 24 horas, todas as informações a respeito do procedimento administrativo conduzido pela Secretaria de Gestão.

MT Hemocentro faz parceria e impulsiona cadastro de medula óssea

O número de doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) tem aumentado expressivamente em todo o país. Em Mato Grosso, cerca de 40 mil pessoas estão cadastradas no banco de dados do Redome. Para aumentar esse número o MT Hemocentro realiza, nesta quinta-feira (23.07), uma campanha de Medula Óssea em parceria com a Associação dos Amigos da Criança com Câncer (AACC), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a Justiça Federal.

Além de cadastrar as pessoas que querem ser doadoras, será realizado um trabalho de orientação para conscientizar os servidores que trabalham nos órgãos públicos parceiros sobre a importância da doação de medula óssea, além de desmistificar alguns estigmas relacionados ao procedimento. A campanha será realizada no prédio da Justiça Federal, das 8h às 16h, e é aberta a quem tiver interesse em ser doador.

Heloise Angélica Dias, assistente social do MT Hemocentro, explica que o procedimento para o cadastro é simples. "Para realizar o cadastro de doador no Redome, preenchemos um formulário com dados pessoais e coletamos uma amostra de sangue com 10 ml para exames". A amostra é destinada ao laboratório onde é feito o exame de histocompatibilidade (HLA), que identifica as características genéticas para a compatibilidade entre doador e paciente.

Taques anuncia mais recursos para a saúde

O governador Pedro Taques participou nesta terça-feira (21.07) do início das atividades do Hospital São Benedito, em Cuiabá. Ao lado do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes e do ministro da Saúde, Arthur Chioro, o chefe do Executivo Estadual afirmou que a saúde é tratada como prioridade da gestão e que já determinou que 1/3 do que for arrecadado no Mutirão Fiscal será investido na saúde.

Além dos R$ 2 milhões mensais para a manutenção da unidade, o governador lembrou que o Estado repassará R$ 50 milhões em parcelas mensais para a construção do novo Pronto-Socorro, com mais de 300 leitos em Cuiabá. "Saúde é investimento, por isso estamos realizando essas ações", disse.

Taques ressaltou que a gestão tem compromisso em terminar o Hospital Central, localizado no Centro Político Administrativo, cujas obras estão paradas há 20 anos. O governador afirmou que a unidade será construída com apoio da sociedade em um projeto que será apresentado nos próximos dias pela primeira-dama, Samira Martins e o secretário de Estado de Fazenda, Paulo Brustolin.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse estar admirado com a qualidade do hospital, destacando que raramente uma unidade é inaugurada pronta para o uso. Logo após a visita ao centro-cirúrgico, o local recebeu o primeiro paciente para ser operado.

Chioro garantiu que, apesar dos cortes no orçamento devido ao ajuste fiscal, a saúde não terá menos recursos que em anos anteriores, o que possibilitou a ajuda no custeio da nova unidade. O Ministério da Saúde fará repasse de R$ 36 milhões anuais para a manutenção do São Benedito.

Mato Grosso registra aumento de 81% nos casos de dengue

Mato Grosso registrou 16.119 casos notificados de Dengue até a primeira quinzena do mês de julho. Em comparação com 2014, quando 8.885 casos foram notificados, houve um aumento de 81,42%. Os municípios de Sinop, Várzea Grande, Campo Novo do Parecis e Rondonópolis são os que apresentam maior número de notificações, com 2.285, 1.084 e 1.015 casos, respectivamente. Cuiabá também apresentou números expressivos, com 1.488 casos registrados. Os dados estão no boletim epidemiológico da área de Vigilância em Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde (SES). 

Segundo o boletim, Mato Grosso já contabiliza 67 cidades com alta incidência de dengue. Ribeirãozinho, Santa Carmem, Cocalinho, Paranaíta, Santa Rita do Trivelato, Torixoréu, Campo Novo dos Parecis, Alto Taquari, Matupá, Novo Horizinte do Norte e Serra Nova Dourada estão entre os municípios que apresentaram os maiores índices, com números superiores a 300 casos por 100 mil habitantes. No estado a incidência calculada é de 499,91 casos por 100 mil habitantes. 

Em relação à ocorrência de óbitos relacionados à doença, 11 casos foram informados, sendo cinco confirmações nos municípios de Sapezal, Cuiabá, Sorriso, Rondonópolis e Matupá. As outras seis mortes estão sob investigação. 

De acordo com a coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) continua auxiliando os municípios para o combate à dengue no Estado, principalmente nas regiões que apresentam os maiores índices. "As atividades de vistoria, orientação e prevenção serão reforçadas, principalmente nos municípios silenciosos e de maior incidência", explicou a coordenadora Flávia Guimarães. 

Chikungunya - Foram registrados 190 casos suspeitos de Febre Chikungunya. Do total, 146 estão sob investigação e 44 foram descartados nos municípios de Água Boa, Barra do bugres, Campo Novo do Parecis, Cuiabá, Guarantã do Norte, Juina, Marcelândia, Nova Olímpia, Primavera do Leste, São Félix do Araguaia, Sorriso, Terra Nova do Norte e Várzea Grande. Até o momento, não foi registrado nenhum caso de transmissão da doença em Mato Grosso. No entanto, no início do mês de março foi registrado o primeiro caso "importado" de Febre Chikungunya, no município de Cuiabá. 

Zyka - O Zika vírus (ZIKAV) é um arbovírus do gênero Flavivírus, que apresenta sintomas parecidos com o da Dengue e da Febre Chikungunya, como: dores nas articulações, dor de cabeça, febre, náuseas, diarreia e mal-estar. A fotofobia é uma das características diferenciais da doença, assim como manchas no corpo, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, e conjuntivite sem secreção e coceira. Oitenta e sete amostras já foram enviadas para diagnóstico diferencial, mas ainda não foi confirmada a circulação do Zika vírus em Mato Grosso.

Fonte: LORRANA CARVALHO Assessoria/SES-MT

Ministro da Saúde inaugura Hospital São Benedito, em Cuiabá

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, participa nesta terça-feira (21), em Cuiabá, no Mato Grosso, da inauguração do Hospital São Benedito, primeira unidade pública de saúde especializada em procedimentos de média e alta complexidade da região. O hospital terá capacidade para realizar até 500 cirurgias por mês e será referência no atendimento de urgências e emergências pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Agência Saúde

OMS vai recomendar antirretrovirais a todos com HIV

O Brasil já trata todas as pessoas diagnosticadas desde dezembro de 2014. OMS elogia o país por seu pioneirismo

Novo protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS) vai recomendar o tratamento com antirretrovirais para todas as pessoas com HIV no mundo, assim que forem diagnosticadas, independentemente da carga viral. A medida já é praticada desde dezembro de 2013 pelo Brasil, quando foi lançado o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para adultos. O protocolo adotou o “Testar e Tratar” como política de tratamento. O anúncio foi neste domingo (19), em Vancouver, Canadá, durante Congresso Internacional de Aids (IAS)

No anúncio, a OMS menciona o exemplo do Brasil, enfatizando que a adoção do novo protocolo melhorou a saúde das pessoas vivendo com HIV. O acesso precoce ao tratamento não só melhora a qualidade de vida das pessoas vivendo com HIV e aids, mas também reduz a transmissão do vírus.

Para o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, que participa do evento, a evidência mostra “que essa é, realmente, a direção que deve ser tomada por todo o mundo”.

O secretário-executivo da Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS), Luiz Loures, destacou a importância da iniciativa da OMS, lembrando que a organização lidera globalmente a resposta à aids no setor de saúde com decisões baseadas em evidência científica.

O novo protocolo da OMS prevê, ainda, que a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) seja recomendada como uma opção de terapia adicional para todas as pessoas que integrem populações com risco substancial de serem infectadas pelo HIV (prevalência superior a 3%).

TESTAGEM - Na mesma sessão em que antecipou alguns pontos do protocolo de HIV, a OMS lançou seu novo guia sobre testagem de HIV. O novo guia estimula a capacitação de membros da comunidade para que possam aplicar o teste de aids e a testagem em organizações comunitárias que tenham acesso mais amplo às populações vulneráveis ao HIV. O Brasil adota as duas medidas no projeto Viva Melhor Sabendo.

Durante a sua participação no evento, Fábio Mesquita, apresentou, como experiência, o trabalho colaborativo entre o Ministério da Saúde, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, o USCDC, o Unaids, o Grupo Dignidade e outros parceiros no projeto piloto "A Hora é Agora". O projeto promove o autoteste, focado na população jovem de homens que fazem sexo com homens, na cidade de Curitiba/PR.

O congresso é um dos maiores fóruns científicos no campo de HIV e aids de todo o mundo, e acontece no Canadá até 22 de julho.

Agência Saúde - Assessoria de Comunicação

Governo e UFMT discutem abertura de nova licitação para concluir hospital universitário

A continuação das obras do novo Hospital Universitário Julio Muller foi tema de reunião entre o governador Pedro Taques, o secretário de saúde Marco Bertúlio, o secretário de Cidades Eduardo Chiletto e a reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Maria Lúcia Cavalli Neder. O novo hospital contará com 300 leitos e atenderá 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A construção do novo hospital universitário foi iniciada em 2012 e deveria ter ficado pronta até 2014. No entanto, neste período de dois anos apenas 10% da obra foi concluída. Uma nova licitação para a construção do hospital deverá ser realizada em outubro. A previsão é que o custo final da obra seja na ordem de R$ 180 milhões com os valores divididos entre o Governo do Estado e a UFMT, de acordo com a avaliação do secretário de Cidades Eduardo Chiletto. A expectativa é que a unidade seja concluída em dois anos depois de reiniciada, devendo ser entregue em meados de 2018.

O atual Hospital Universitário Júlio Müller continuará atendendo 100% pelo SUS e os 120 leitos da unidade hospitalar deverão ser utilizados para atendimento de doenças tropicais, segundo a perspectiva da Secretaria de Saúde (SES).

Maria Lúcia Cavalli Neder avaliou como positiva a reunião para atualizar o governador sobre a nova licitação, trabalho que está sendo realizado em conjunto com a Secretaria de Cidades. "Estamos muito animados para a retomada das obras, que estão paradas desde outubro de 2014, quando tivemos que suspender o processo de contratação com a empresa que estava trabalhando em ritmo muito lento e não seguindo o acordo previsto no processo licitatório. Uma nova licitação deverá ser aberta em outubro e em dois anos temos a expectativa de entregar o hospital para a sociedade mato-grossense", afirmou a reitora da UFMT.

Fonte: RENATA PRATA Redação/Gcom-MT

Projeto revoga lei que reduziu em 50% os repasses aos municípios

O governador Pedro Taques encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei que dispõe sobre a revogação da Lei nº 9.870, de 28 de dezembro de 2012. Com a revogação, o Estado dobrará os repasses à atenção básica na gestão compartilhada da Saúde com os municípios mato-grossenses. A ação faz parte do programa Transforma Mato Grosso, que tem a saúde como um dos principais focos. 

A Lei sancionada em 2012 instituiu o repasse de até 10%, divididos em 12 parcelas iguais e sucessivas, dos recursos destinados ao desenvolvimento das ações de saúde - Fonte 134 - aos Fundos Municipais de Saúde. Esses recursos têm o propósito de financiar as ações e serviços públicos de saúde de atenção primária e de média complexidade nos municípios, conforme critérios de repasses financeiros. 

Entretanto, Taques ressalta na justificativa do Projeto de Lei que, passados pouco mais de dois anos do corte de 50% nos recursos, demonstrou-se na prática que o recurso era incapaz de suprir a contento as demandas dos programas públicos de saúde, impedindo o gestor de implementar um modelo de gestão mais efetivo. 

As ações que serão realizadas terão a participação da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Inclusive a revogação da Lei também é objeto de duas resoluções do CIB, as de nº 34 e 35, do dia 07 de maio de 2015. 

Segundo Taques, essa recomposição dos recursos financeiros para o cofinanciamento das ações e serviços públicos de saúde nos municípios já possui compatibilidade com Plano Plurianual (PPA 2016-2019), que alça o objetivo de melhorar o acesso equitativo e a resolutividade dos serviços de saúde do SUS no Estado. 

Pela propositura, a regulamentação do cofinanciamento dos recursos destinados ao desenvolvimento das ações de saúde da Fonte 134 será feita pode meio de decreto do Poder Executivo. Os programas de saúde existentes terão prioridade e os novos programas serão definidos pelo Plano Plurianual. 

O Projeto de Lei foi encaminhado para o Legislativo, onde será analisado pelas comissões e pelo Plenário da Casa de Leis. Após a apreciação, será reencaminhada para o Poder Executivo, responsável pela sanção. 

Transformação na saúde 

O programa Transforma Mato Grosso, compreende mais de 3 mil ações e um investimento de R$ 3 milhões. O programa reconhece que a saúde é o principal problema que assola o mato-grossense. 

Pra mudar essa realidade, o governo prevê, por exemplo, a aquisição de ambulâncias para atender os 141 municípios, regularização do fornecimento de medicamentos, entrega imediata das demandas judiciais em domicílio, conclusão das Unidades Descentralizadas de Reabilitação (UDRs) em todos os munícipios e aquisição de equipamentos para as unidades existentes. 

Ainda na saúde, o Acordo de Resultados determina o estabelecimento de convênio com o Consórcio Intermunicipal do Araguaia para custeio do Hospital Regional de Água Boa, demanda antiga da região. 

Taques também anexou ao acordo a implantação da política estadual de transplante. O documento prevê também a instalação do MT Laboratório no prédio do antigo Hospital São Thomé, após adequação e ampliação da estrutura. 

Fonte: THIAGO ANDRADE Redação/ Gcom-MT

VÁRZEA GRANDE - Lucimar e Taques lançam obras

A reforma do pronto-socorro custará R$ 10 milhões ao município; já o hospital metropolitano receberá um aporte de mais de R$ 12 milhões do Estado

Convencido de que as políticas públicas do governo do Estado para Cuiabá e Várzea Grande precisam ser conjuntas para fazer frente aos entraves, o governador Pedro Taques (PDT) se uniu à prefeita Lucimar Campos e ambos definiram uma série de ações que em curto prazo representam obras de infraestrutura e melhoria na qualidade de vida como saúde, segurança e educação. E em longo prazo, na implantação do Parque Tecnológico. 

“Ou atuamos em conjunto, ou sempre teremos vazios na solução dos problemas mais graves, principalmente na saúde, pois assim como Cuiabá, Várzea Grande recebe muitos pacientes de outros municípios e até mesmo de Estados vizinhos ou países da América do Sul”, disse o governador Pedro Taques anunciando investimentos ainda neste ano da ordem de R$ 12 milhões para reforçar o hospital metropolitano instalado no Cristo Rei, além de auxiliar na conclusão e funcionamento das Unidades de Pronto Atendimento – UPAs que desafogam as demais unidades médicas das duas principais cidades de Mato Grosso. 

Inter-relação entre doença periodontal e doença cardiovascular no paciente com Diabetes Mellitus.

O diabetes é considerado uma das doenças não contagiosas mais comuns pelo fato de acometer 3% da população mundial e têm sido considerado um problema de saúde pública (ADA, 2009). Seu desenvolvimento surge a partir de uma resposta secretória defeituosa ou produção deficiente de insulina, ou ainda de uma incapacidade em utilizá-la, apresentando uma conseqüente hiperglicemia (aumento da taxa de açúcar no sangue) (BRONDANI et al., 2002).

Dentre as implicações bucais do diabetes pode-se destacar o aumento da severidade da doença periodontal(TAYLOR et al., 1998; LALLA et al., 1998), sendo considerada a sexta alteração encontrada em pacientes diabéticos (LÖE, 1993). Evidências sugerem existir correlação positiva entre diabetes mellitus e destruição periodontal, baseada no fato da perda de inserção periodontal ocorrer mais freqüentemente e, em maior extensão, em pacientes diabéticos não controlados. Esse fato é hipoteticamente justificado pela alta susceptibilidade a infecções (CHRISTGAU et al., 1998).

Atualmente o Diabetes tem sido considerado importante fator de risco para o desenvolvimento de eventos cardiovasculares, principalmente, devido às alterações micro e macrovasculares (FRIEDWALD et al., 2009). Vários estudos mostram que dentre as doenças cardiovasculares, a aterosclerose é a mais prevalente (POLANCZYK, 2005; GUYTON, 2006). A aterosclerose é um processo inflamatório crônico multifatorial que pode apresentar exacerbação do desenvolvimento de lesões e/ou agravamento de lesões pré-existentes (NUCCI DA SILVA, 2009), quando associada a potentes fatores de risco, tais como: LDL oxidado, hiperglicemia, radicais livres liberados pelo cigarro, hipertensão, diabetes mellitus, alterações genéticas, aumento da proteína C-reativa (PCR), hiper-homocisteinemia e presença de microrganismos como Clamydia pneumoniae e patógenos associados à infecções, como às periodontais (BECK & OFFENBACHER, 2001; SERRANO JR, 2007). 

Profª Helga Cavalini Miranda Moratelli 
Graduada em odontologia (UNIFEB)
Professora na UNIC- Tangará da Serra - MT
Especialista em Implantodontia (ABO-MT)
Especialista em Saúde Pública ( FACINTER )
Mestranda em Periodontia ( UNIFEB)

Mais Médicos abre 276 novas vagas para profissionais brasileiros

Médicos brasileiros ou com diplomas revalidados têm à disposição 276 novas oportunidades para integrar o Programa Mais Médicos. As vagas foram abertas desde o último chamamento, realizado em janeiro deste ano. O número divulgado nesta quarta-feira (15) é resultado da adesão de 200 municípios, que confirmaram o interesse em manter os postos abertos a partir de desistências ou desligamentos. Os médicos brasileiros interessados em participar desta etapa poderão se inscrever até o dia 19 de julho, por meio da página do programa.

"Essa nova etapa do Mais Médicos dá uma nova oportunidade a esses municípios que, por algum motivo, precisavam repor o número de profissionais. O Mais Médicos tem papel fundamental no fortalecimento e consolidação da Atenção Básica e se complementa com a qualificação da formação médica e obras de melhorias na infraestrutura. Por meio do Programa, conseguimos levar profissionais onde vivem as pessoas com maior vulnerabilidade, no interior e periferias das grandes cidades, onde os brasileiros mais precisam de médicos", destacou o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Hêider Pinto, que é responsável pela iniciativa.

No momento do cadastro, os candidatos deverão escolher entre a pontuação adicional de 10% nas provas de residência, atuando na unidade básica por, no mínimo, 12 meses, ou permanecer no município por até três anos e obter benefícios como auxílios moradia e alimentação pagos pelas prefeituras. Nos dias 20 e 21 de julho, os profissionais inscritos deverão indicar até quatro cidades de diferentes perfis onde desejam atuar conforme a sua prioridade. Os candidatos concorrerão somente com aqueles que optarem pelos mesmos municípios e, quem não conseguir alocação, terá acesso às vagas remanescentes em outra oportunidade (em agosto). O cronograma completo também está disponível no site maismedicos.saude.gov.br.

RONDONÓPOLIS - PSF Margarida promove programação especial em comemoração ao “Dia do Homem”

Em comemoração alusiva ao Dia do Homem (15 de julho) o Posto de Saúde da Família Margarida está programando para está quarta-feira (15) uma programação especial voltada aos homens que tem dificuldade em buscar atendimento médico no período matutino e vespertino. Múltiplos profissionais do PSF e do Núcleo de atendimento a Saúde da Família - Nasf ficarão à disposição dos homens a partir das 17h no PSF Margarida.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do PSF Margarida, Maria Célia Ferraz, diversos serviços como consulta médica, educação em saúde, teste rápido, vacinas, atendimento odontológico, psicólogo, nutricionista, educadora física e assistente social serão oferecidos aos homens da região do residencial Farias e residencial Margarida.

População passa a contar com 13 leitos de UTI Neonatal em Sinop

Desde segunda-feira (13.07), a população da região Norte Mato Grosso conta com mais 13 leitos de UTI Neonatal e quatro de UTI Pediátrica no município de Sinop. A ampliação de leitos de UTI no município faz parte da política do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, de ampliar o atendimento à população, interiorizando e regionalizando os serviços de saúde. 

Os quatro leitos de UTI Pediátrica e seis leitos de UTI Neonatal estão localizados no Hospital Regional de Sinop, enquanto o Hospital Santo Antônio, conveniado ao Sistema Único de Saúde, conta com sete leitos de UTI Neonatal. 

A UTI do Hospital Regional começou a funcionar efetivamente no dia 7 de julho, quando recebeu a primeira paciente na unidade pediátrica. Na segunda (13), conforme informações da direção do hospital, todos os leitos da UTI Pediátrica e um da UTI Neonatal estavam ocupados. 

Os leitos no Regional foram inaugurados no dia 12 de junho pelo governador Pedro Taques. Desde então, os equipamentos terminaram de ser instalados e foram calibrados para poderem funcionar. 

INSPEÇÃO - MT Hemocentro é aprovado pelo Ministério da Saúde e Vigilância Sanitária

O Hemocentro Coordenador do Estado de Mato Grosso teve 89% dos seus processos de trabalhos validados pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A instituição foi aprovada após inspeção realizada por representantes da Anvisa e da Vigilância Sanitária Estadual e Municipal entre os dias 06 e 10 deste mês. Com avaliação, o MT Hemocentro alcançou a classificação de médio baixo risco. 

Além da equipe da vigilância sanitária, representantes do Ministério da Saúde também estiveram em Cuiabá para participar de reunião com a secretária adjunta de gestão estratégica, Margarete Chaves. O objetivo do encontro também foi avaliar a qualidade dos serviços prestados pelo MT Hemocentro à população. 

Para o coordenador geral de sangue e hemoderivados, João Paulo Baccara, os avanços realizados pela atual gestão são de extrema importância para a qualidade do serviço prestado. “Na última visita, antes da Copa de 2014, o Ministério visitou o MT Hemocentro na intenção de interditá-lo. Hoje estamos surpresos, pois passamos de alto risco para médio baixo risco”, explicou o coordenador, destacando que esse é o padrão de qualidade necessário para buscar a excelência no atendimento. 

Baccara afirmou ainda que o próximo passo é o fornecimento de plasma à Hemobras, em 2016. “O plasma produzido hoje pelo MT Hemocentro é de altíssima qualidade e precisamos utiliza-lo”. A Hemobras é uma indústria brasileira que produz medicação, como a albumina e a imunoglobulina, para atender pacientes hematológicos. No processo de produção, a indústria utiliza como matéria prima o plasma produzido na Hemorrede nacional e estadual. 

O trabalho realizado pelo MT Hemocentro também teve o parecer favorável da assessora técnica em Hemoterapia, Bárbara de Jesus Simões, e das técnicas da equipe do Programa de Qualidade em Hemoterapia, do Ministério da Saúde. 

Hospitais de Alta Floresta - MT

Hospital e Maternidade Cristo Redentor
Rua F nº 480 - Setor F - Centro
Fone: (66) 3521-3040
Cep: 78580-000
Alta Floresta - MT
+ Informações

Hospital e Maternidade Santa Rita
Rua F nº 613 - Setor F - Centro
Fone: (66) 3521-2275
Cep: 78580-0900
Alta Floresta - MT
+ Informações

Hospital Geral de Alta Floresta
Rua Orquídeas, 135 - Setor H - Centro
Fone: (66) 3521-2121
Cep: 78580-000
Alta Floresta - MT
+ Informações

Hospital Regional Albert Sabin de Alta Floresta
Av. Ariosto da Riva, 1933 - Centro
Fone: (66) 3521-1339
Cep: 78580-000
Alta Floresta - MT
+ Informações

A barriga pode medir o risco de infarto

Acredito que você já tenha ouvido falar, alguma vez em sua vida, sobre os riscos da obesidade e da síndrome metabólica, também conhecida como Síndrome X ou Síndrome Plurimetabólica . Porém, o que muitos não sabem é que nem todas as pessoas obesas são, necessariamente, portadoras de síndrome metabólica e nem todas as pessoas portadoras de síndrome metabólica são obesas. Confuso? Bem, vamos esclarecer. 

Obesidade 

Para uma pessoa ser considerada obesa basta apresentar excesso de gordura corporal generalizada. Em outras palavras, obesidade é excesso de gordura, não necessariamente de peso, embora esta seja a medida mais utilizada.

Existe uma fórmula matemática bem simples e que ajuda a detectar os vários graus de obesidade: é o cálculo do IMC (índice de massa corporal). Para descobri-lo, basta dividir o peso (em quilos) pela altura multiplicada pela altura (em metros). Um exemplo: Uma pessoa de 80 Kg com 1,70 m.

[80 ÷ (1,70 x 1,70)], resultando num IMC de 27,68.

Se quiser passar longe da obesidade ou da desnutrição, ao fazer esse cálculo o resultado deve variar entre 18 e 24,99. Se o resultado for inferior a 18, considere-se desnutrido. Quanto menor for o resultado, mais severo é o grau de desnutrição. Agora, se o resultado for superior a 25, considere-se obeso. E, quanto maior for o resultado, também mais grave será o grau da doença. 

No caso do nosso exemplo, a pessoa encontra-se na faixa de sobrepeso. De acordo com sua altura, o peso ideal deveria variar entre 53 e 72Kg. Logo, seria necessário que ela emagrecesse no mínimo 8Kg. 

Calma, mas não se desespere. Estamos falando de medicina, portanto nada é tão matemático assim. Deve-se levar em consideração vários fatores, como: o sedentarismo; o grau de prática de atividade física; o gênero (masculino ou feminino); a idade cronológica; a composição corporal geral; a localização e distribuição da gordura, entre outros fatores. Se avaliarmos, por exemplo, os tempos áureos do ator de Hollywood e atual governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, ele podia até pesar seus 108Kg com os seus 1,88m, mas pela sua avantajada massa muscular, carga intensa de atividade física e ínfima porcentagem de gordura corporal, mesmo com um IMC de 30,5, não era considerado obeso.

Fumar pode aumentar risco de desenvolver esquizofrenia

Londres - Cientistas do King's College de Londres relacionaram o hábito de fumar com o desenvolvimento da esquizofrenia, segundo informa nesta sexta-feira a revisa "Lancet Psychiatry".

Alta Floresta - MT

Prefeito Municipal de Alta Floresta
Dr. Asiel Bezerra de Araújo
Fone: (66) 3903-1000

Secretária Municipal de Saúde de Alta Floresta
Lúcia Maria Dizo De Almeida
Rua do Araújo, 71 - Setor Industrial Fone: (66) 3903-1246
Fax: (66) 3903-1248
E-mail: saudeaf@yahoo.com.br

SAÚDE DE ALTA FLORESTA:
  • Academias
  • Clínicas
  • Convênios
  • Dentistas - Especialidades
  • Farmácias e Drogarias
  • Hospitais
  • Laboratórios
  • Médicos - Especialidades
  • Produtos e Serviços
  • Saúde Pública

Mato Grosso registra 15.954 casos e quatro óbitos por Dengue

Mato Grosso registrou 15.954 casos notificados de Dengue até meados do mês de junho. Em comparação com o ano de 2014, quando 8.620 casos foram notificados, houve um aumento de 85,08%. Os dados estão no boletim epidemiológico da área de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (SES). 

UTI Infantil do Hospital Regional de Sinop recebe primeira paciente

A UTI Infantil do Hospital Regional de Sinop recebeu sua primeira paciente nessa segunda-feira (06.07). A menina J.V.S, de 3 anos, foi atendida no pronto-atendimento da unidade hospitalar e como houve a necessidade, foi internada na UTI Pediátrica.

Governo do Estado vai investir R$ 50 milhões em novo Pronto-Socorro

O novo Hospital e Pronto-socorro Municipal de Cuiabá vai receber R$ 50 milhões em investimentos do Governo do Estado para a construção da obra no bairro Ribeirão do Lipa, o que corresponde a 65% do valor total licitado, que é de R$ 76,9 milhões. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Prefeitura de Cuiabá também receberá recursos para custeio dos serviços, contudo os valores ainda não foram definidos.

Mais de 80% dos partos feitos com plano de saúde são cesarianas

ANS lançou série de medidas para estimular o parto normal. No SUS, número de cesáreas é de 40%.

Mais de 80% dos partos feitos no Brasil com planos de saúde são cesarianas. Mas uma resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar pode mudar essa situação.

Imagina se você tivesse o poder de programar as coisas boas que vão acontecer na sua vida. Uma agenda com dia certo e hora marcada para ser feliz. Quando se fala em gravidez, está cheio de brasileira pensando assim.

Ir para o hospital, fazer uma cirurgia, dar à luz. O Brasil é um dos países que mais fazem cesarianas no mundo todo. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) achou que a coisa estava ficando exagerada e lançou algumas medidas para estimular o parto normal entre as gestantes que têm plano de saúde.

Mais de 80% dos partos realizados na rede particular são cesarianas. No SUS, é bem menor: 40%.

A partir de agora, médicos e gestantes têm que explicar ao plano de saúde as suas decisões.

Vamos imaginar duas situações.

Primeira: o médico descobre antes ou durante o parto que a gestante tem problemas. Precisa de uma cesárea. Como fica?

“O médico, normalmente, faz o relatório médico e ela vai ser coberta. É um parto que, infelizmente, complicou e evoluiu pra cesariana. Tem cobertura? Tem. Como todos”, explica João Luiz Barroca, da Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Nesse relatório, o médico tem que incluir o partograma. É nele que o médico anota todas as informações do trabalho de parto.

A Talita está com cinco meses. Ela também tem dúvidas. “Se a mulher quiser escolher fazer uma cesárea, ela vai poder escolher?”, pergunta.

“Ela vai assinar um termo de consentimento, significando o quê? Que ela tomou conhecimento dos riscos. Ela vai ter, sim, o seu parto, a sua cesariana coberta pelo plano de saúde. Isso está garantido, não há redução de direitos”, afirma João Luiz Barroca .

A agência diz que o objetivo é que as grávidas tenham mais informação. Agora, os planos serão obrigados a entregar, no início da gravidez, um cartão de acompanhamento da gestação. A grávida recebe ainda uma carta lembrando que a cesariana, como qualquer operação, oferece riscos.

“Tanto as declarações do órgão regulador quanto do Código de Ética Médica respeitam, sim, a vontade da parturiente. Por isso, desde que elas tenham o plano hospitalar com cobertura obstétrica, elas terão a cobertura ao parto qualquer que seja a via”, diz José Cechin, diretor da FenaSaúde.

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo, que também representa empresas do setor, declarou que tem alertado para epidemia de cesarianas no Brasil e que tem um compromisso com as novas regras da ANS.

Fonte: Redação JN

PROJETO DE LEI - Proposta do governo federal tornará crime fraudes com órtese e prótese

Texto elaborado pelos ministérios da Saúde, Justiça e Fazenda penaliza empresas, gestores e médicos por lucro ilícito na comercialização ou prescrição desses materiais. Será criada uma divisão na Polícia Federal para apuração de crimes contra a saúde

O governo federal encaminhará ao Congresso Nacional, em regime de urgência, Projeto de Lei para criminalizar fraudes no fornecimento, aquisição ou prescrição de órteses e próteses no Brasil. A medida apresentada nesta terça-feira (7) pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, é resultado de um grupo de trabalho criado em janeiro deste ano, junto com os ministérios da Justiça e Fazenda, para a reestruturação e maior transparência do setor de dispositivos médicos implantáveis (DMI). Além da responsabilização penal, estão previstas ações para o maior monitoramento deste mercado, por meio da padronização das nomenclaturas e criação de um sistema de informação.(Leia +)

Fonte: Portal Saúde

Governo do Estado vai investir R$ 50 milhões em novo Pronto-Socorro

O novo Hospital e Pronto-socorro Municipal de Cuiabá vai receber R$ 50 milhões em investimentos do Governo do Estado para a construção da obra no bairro Ribeirão do Lipa, o que corresponde a 65% do valor total licitado, que é de R$ 76,9 milhões. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Prefeitura de Cuiabá também receberá recursos para custeio dos serviços, contudo os valores ainda não foram definidos. 

Os repasses para a construção do novo pronto-socorro serão realizados por meio de repasses bimestrais de R$ 5,6 milhões (de março deste ano até setembro de 2016). A previsão é de que a obra seja concluída após 18 meses do seu início. A unidade de saúde terá três grandes setores que deverão conter 315 leitos, sendo 60 para Unidades de Terapia Intensiva (UTI). A unidade contará com um Centro de Diagnósticos, evitando que os exames necessários sejam feitos em outros lugares, e ainda um Centro Ambulatorial, com consultas e leitos para internação suficientes para qualquer tipo de atendimento.

“Esse dia é muito importante para que nós possamos resgatar a credibilidade da palavra empenhada, do compromisso assumido. No dia 10 de março nós assinamos o compromisso que o estado contribuiria com o hospital de Cuiabá e hoje estamos aqui para entregar a ordem de serviço para a construção do novo Pronto-Socorro, que é importante não apenas para a capital, mas para todo Mato Grosso", disse o governador Pedro Taques.

“Começamos a escrever uma história nova na saúde da capital. Essa unidade vai representar um novo marco de equipamento público feito com qualidade para se prestar um serviço também com qualidade ao cidadão”, disse o prefeito Mauro Mendes. “Agradeço o governador, porque sem a ajuda do Governo do Estado não estaríamos aqui hoje para lançar as obras do Pronto-Socorro”, completou Mendes.

Novos veículos reforçam escritórios regionais e unidades de saúde

Nove, dos 16 Escritórios Regionais de Saúde, e cinco unidades descentralizadas da Secretaria de Estado de Saúde (SES) vão receber caminhonetes novas ainda este mês. Ao todo, são 20 novos utilitários à disposição da Saúde do Estado, mas inicialmente serão recebidos 15 veículos.

A frota será distribuída entre MT-Hemocentro, Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (CRIDAC), Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE), SAMU, CIAPS-Adauto Botelho, sede central da SES e os escritórios regionais da Baixada Cuiabana, de Pontes e Lacerda, Porto Alegre do Norte, Água Boa, Cáceres, Diamantino, Juína, Juara, e Peixoto de Azevedo.

As novas caminhonetes são locadas por meio de um contrato de prestação de serviços de locação de veículos com a empresa Kawasaki Veículos. Para firmar o contrato com a empresa, a SES/MT aderiu como carona a um registro de preços da Defensoria Púbica de Mato Grosso. O contrato tem duração de 12 meses, podendo ser renovado pelo mesmo período, no valor de R$ 1.089.590,40, sendo R$ 90.799,20/mês.

Profissionais do Mais Médicos chegam a Mato Grosso e participam de oficina de acolhimento

Profissionais do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, participaram na manhã desta terça-feira (30.06) de uma oficina de acolhimento promovida pela Comissão de Coordenação Estadual do Projeto Mais Médicos e Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab), da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT). A programação da oficina segue até quinta-feira (03.07), na Escola de Saúde Pública (ESP). 

O grupo de profissionais chegou ao estado nesta segunda-feira (29.06) e corresponde à segunda etapa do 6º Ciclo do Programa Mais Médicos. Ao todo são 19 médicos brasileiros, com formação no exterior, que vão atuar na Atenção Primária no Estado. 

"O acolhimento tem o objetivo de orientar o profissional sobre a situação da Saúde em Mato Grosso, aproximando ele da realidade vivida pela população. Vamos abordar nesses dias o funcionamento dos programas, situar os profissionais no panorama da Atenção Primária, além de mostrar como estão organizados os serviços no Estado", informou a coordenadora da Comissão de Coordenação Estadual, Leonor Pereira. 

Ainda será apresentado aos médicos o programa Telessaúde, projeto nacional que busca melhorar a qualidade do atendimento e da atenção básica no Sistema Único de Saúde (SUS), integrando ensino e serviço por meio de ferramentas de tecnologias da informação.