ASSISTÊNCIA - Força Nacional do SUS reforça ações para período de chuvas

Conjunto de ações prevê kits de medicamentos e insumos, estrutura para montagem de hospitais de campanha, além de equipes de saúde para apoio local 

Com início da temporada de chuvas, o Ministério da Saúde reforçou as ações da Força Nacional do SUS (FN-SUS) para auxílio a possíveis situações de desastres naturais. Para a assistência às populações necessitadas, já estão preparados 200 kits de medicamentos e insumos. Cada kit é composto por 48 itens (30 tipos de medicamentos e 18 insumos de primeiros-socorros), com capacidade para atender 1.500 pessoas, com duração prevista de um mês.

Com um orçamento de R$ 10,7 milhões, a Força Nacional do SUS conta com mais de 12 mil voluntários, sendo que 1.470 já estão capacitados para atuar em condições de desassistência, surtos epidêmicos e apoio à gestão, situações que podem ocorrer durante desastres naturais.(Leia +)

Por Lívia Nascimento, Ascom/MS

GESTÃO - Ministério da Saúde libera R$ 21,5 mi para qualificar gestão do SUS

O recurso visa organizar o sistema de saúde nos estados e integrar os serviços na rede pública, com ações como auditoria, ouvidoria e processos de planejamento

O Ministério da Saúde publicada autorizou o repasse de R$ 21,5 milhões para estados e Distrito Federal (DF) com o objetivo de qualificar a gestão no Sistema Único de Saúde (SUS). Foi publicada nesta quinta-feira (21), portaria que determina que os recursos deverão ser investidos especialmente na implementação e fortalecimento da Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa do Sistema Único de Saúde (ParticipaSUS).

“A liberação desses repasses é mais um passo em direção à organização do sistema de saúde e vai auxiliar a consolidação do COAP, que tem como objetivo organizar e integrar as ações e serviços de saúde na rede regionalizada e hierarquizada, com definição de responsabilidades entre União, Estados e Municípios”, explicou o secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro.(Leia +)

Por Tania Mello - Portal Saúde

VIGILÂNCIA - Mapa da dengue aponta 157 municípios em situação de risco

Para apoiar estados e municípios contra a doença, o Ministério da Saúde dobrará investimentos adicionais em 2014, que chegarão a R$ 363,4 milhões

Novo mapa da dengue revela que 157 municípios brasileiros estão em situação de risco para a doença, outros 525 em alerta e 633 cidades com índice satisfatório. Os dados são do Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa), apresentado nesta terça-feira (19) pelo ministro da Saúde Alexandre Padilha e pelo secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.

O levantamento, elaborado pelo Ministério da Saúde em conjunto com estados e municípios, foi realizado entre 1º outubro e 08 de novembro deste ano em 1.315 cidades e tem como objetivoidentificar onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor da doença. (Confira a apresentação).

Para intensificar as ações de vigilância, prevenção e controle da dengue, o Ministério da Saúde está dobrando o volume de recursos adicionais que serão repassados a todos os estados e municípios brasileiros. Portaria autorizando o repasse de R$ 363,4 milhões foi assinada hoje pelo ministro Alexandre Padilha. Os recursos são para incrementar os investimentos realizados nas ações de vigilância em saúde, que somam R$ 1,2 bilhão, sem o montante adicional.(Leia +)

Por Carlos Américo, da Agência Saúde

Óleo de Coco

O óleo de coco é obtido a partir do coco maduro, que pode ser fresco ou seco. 

Ele é rico em ácido fenólico que é uma substância antioxidante, em ácidos láurico e caprílico, apresenta propriedades funcionais, obtendo assim diversos benefícios à saúde. É um tipo especial de gordura saturada, sem colesterol, que é rapidamente absorvida e transformada em energia no fígado, não se acumulando como gordura, podendo assim auxiliar no emagrecimento devido ao seu efeito termogênico, que aumenta o gasto energético do organismo, além de causar saciedade.

Auxilia na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, reduzindo os níveis de colesterol total, triglicérides, LDL e VLDL colesterol e aumentando as taxas de HDL colesterol. O óleo de coco possui atividade antiviral e antibacteriana, sendo demonstrado em diversos estudos suas ações em casos como candidíase e gastrite bacteriana. 

O óleo de coco pode ser consumido em uma quantidade de 1 a 2 colheres ao dia, e recomenda-se começar seu consumo com uma pequena quantidade e ir aumentando o consumo gradualmente. O consumo excessivo pode levar a enjôo e mal estar. Portanto procure um profissional Nutricionista para melhor orientação.

Devido a sua estabilidade pode, também, ser utilizado para finalizar pratos quentes. 

Dica de uso: substitua a manteiga nas pipocas pelo óleo de coco.

Adicione em preparações frias como: saladas, sucos, shakes, misturado à granola, iogurte, salada de frutas etc.

Fonte: Tatiene Melo - Nutricionista - Site Médico

Hipotireoidismo e tumores podem ser confundidos com depressão e ansiedade

Especialistas explicam confusões no diagnóstico de doenças que parecem psicológicas, mas na verdade são físicas

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde 50% dos casos de depressão não são diagnosticados corretamente. E isso não ocorre apenas com essa doença, mas também com transtornos de ansiedade, psicoses e outros problemas psiquiátricos. E um dos motivos é que muitos problemas de origem física podem apresentar sintomas semelhantes a essas doenças.

Justamente por isso, é função do psiquiatra fazer exames físicos em seus pacientes: "Se a alteração comportamental é secundária a um problema orgânico, é essa causa que tem uma prioridade de tratamento e não seguir isso pode colocar a vida da pessoa em risco", pondera o psiquiatra Rubens Fernandes, do Núcleo de Medicina Psicossomática e Psiquiatria do Hospital Israelita Albert Einstein. Até porque o problema original não é tratado e ainda o paciente se expõe aos efeitos colaterais dos medicamentos sem necessidade.(Leia +)

Por NATHALIE AYRES - Redação Minha Vida

DOENÇAS CRÔNICAS - Número de pessoas com diabetes aumenta 40% em seis anos

Apesar do crescimento no número de casos, internações no SUS decorrentes de complicações da doença caíram; pacientes podem obter remédio de graça por meio do Saúde não tem preço 

No Dia Mundial do Diabetes, comemorado nesta quinta-feira (14), o Ministério da Saúde divulga dados inéditos sobre a doença no Brasil e revela que o número de casos está crescendo. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012) revelou um aumento de 40% entre 2006, primeiro ano do levantamento, e ano passado. O percentual de pessoas que se declararam diabéticas passou de 5,3% para 7,4% no período.

O avanço da diabetes está relacionado ao excesso de peso, à falta de exercícios físicos, à má alimentação e o envelhecimento da população. O Vigitel aponta que 75% do grupo de brasileiros convivendo com a diabetes estão acima do peso. Em 2012, pela primeira vez na história o número de pessoas com sobrepeso superou a metade da população, chegando a 51%.(Leia +)

Por Amanda Mendes, da Agência Saúde – ASCOM/MS

DOAÇÃO DE SANGUE - Ministério da Saúde amplia para 69 anos a idade máxima para doação

Brasil realiza anualmente a coleta de 3,6 milhões de bolsas de sangue. Com a medida, outros dois milhões de brasileiros poderão doar. Teste NAT torna-se obrigatório nos serviços públicos e privados.

O Ministério da Saúde ampliou para 69 anos a idade máxima para doação de sangue no Brasil, o que amplia em dois milhões o público potencial de doadores. A atual faixa etária para doação é de 16 a 67 anos. Países como EUA, França e Espanha já trabalham com a faixa etária de até 69 anos. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também assinou nesta terça-feira (12), em Brasília, portaria que torna obrigatória a realização do teste NAT (teste de ácido nucleico) em todas as bolsas de sangue coletadas no país. 

Atualmente, são coletadas no Brasil 3,6 milhões de bolsas por ano, o que corresponde ao índice de 1,8%. Embora o percentual esteja dentro dos parâmetros da OMS, o Ministério da Saúde trabalha para chegar ao índice de 3%. Em 2012, o Ministério da Saúde reduziu a idade mínima para doação de 18 para 16 anos (com autorização do responsável). Com a expansão das idades mínima e máxima dos doadores, houve a abertura para 8,7 milhões novos voluntários.(Leia +)

Por Regina Xeyla, da Agência Saúde.

“Novembro Azul” todos contra o câncer de próstata

Depois do Outubro Rosa, que alertou a mulher sobre o câncer de mama, agora é o Novembro Azul, que chama a atenção dos homens para os riscos da próstata. O Homem ainda tem muito preconceito contra o exame que detecta o câncer. Por conta desta rejeição, a incidência é alta.

De acordo com dados do Ministério da Saúde são registrados mais de 50 mil casos por ano, com o número de mortes ultrapassando os 12 mil registros. “E não são só os países em desenvolvimento que registra alta rejeição, os países desenvolvidos também apresentam este tipo de comportamento. Por esta razão foi criado na Austrália, o Novembro Azul em 2003 e o dia 17 de novembro passou a ser o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Prostata.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). E, segundo o médico, diretor-técnico do Instituto de Oncologia e Hematologia da Bahia, Alberto Nogueira, a incidência do câncer de próstata na Bahia é alta apesar de ser um câncer comum que aparece com a idade. “O homem deve começar a se preocupar a partir dos 40 anos. Quanto mais cedo ele procurar o médico mais estará se prevenindo contra a doença”, acentuou Nogueira.

Em valores absolutos é o sexto tipo de câncer mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. O exame de próstata chamado de toque retal e o PSA (Antígeno Prostático Específico) que é feito no sangue, é de fundamental importância para a saúde do homem, por isso os exames preventivos são importantes, quanto mais cedo for detectado o problema, maiores as chances de cura, já que alguns tumores podem crescer de forma silenciosa, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte.

Em Tangará da Serra a campanha está sendo bem divulgada. O Poder Legislativo representado pelos seus vereadores, na última sessão tiveram todos portando um simbolo da campanha em suas lapelas. Já o Hospital das Clínicas e muitas lojas do comércio estão usando as camisetas azuis da campanha.

Fonte: Humberto Ferreira - Redação

Saúde irá ofertar novos medicamentos para doenças pulmonares

Cerca de cinco mil pacientes, portadores de hipertensão arterial pulmonar e câncer de pulmão, serão beneficiados com a nova incorporação ao SUS

O Ministério da Saúde vai oferecer quatro novos medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A partir de 2014, passam a ser disponibilizados os medicamentos ambrisentana e bosentana para Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) e erlotinibe e gefitinibe para pacientes com câncer de pulmão. A portaria que autoriza a incorporação foi publicada nesta sexta-feira (8) no Diário Oficial da União. Cerca de cinco mil pessoas serão beneficiadas com a medida.

O custo de tratamento mensal com os medicamentos para HAP será de R$ 530,00. O Ministério da Saúde negociou preços e conseguiu a redução de cerca de 50% em relação ao valor inicial proposto. No total, serão investidos R$ 12,5 milhões na compra dos medicamentos ao ano.(Leia +)

Por Fabiane Schmidt , da Agência Saúde.

DOENÇAS CRÔNICAS - Hipertensão atinge 24,3% da população adulta

Oferta gratuita de medicamentos, por meio do Saúde Não Tem Preço, reduziu número internações por agravamento da doença em 25% nos últimos dois anos

Quase um quarto dos brasileiros adultos tem de enfrentar a hipertensão, mas o maior controle da doença tem diminuído fortemente o número de complicações ligadas à doença, que chegaram em 2012 ao menor patamar dos últimos 10 anos. De acordo com a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico – Vigitel 2012, 24,3% da população têm hipertensão arterial, contra 22,5% em 2006, ano em que foi realizada a primeira pesquisa.

Por outro lado, o número de pessoas que precisou ser internado na rede pública caiu 25% nos últimos dois anos. Em 2010, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 154.919 internações decorrentes de complicações da hipertensão; em 2011, o número ficou em 136.633 e foi a 115.748 em 2012. Com isso, o Ministério da Saúde registrou a menor taxa de pessoas internadas para 100 mil habitantes nos últimos 10 anos. A taxa passou de 95,04 em 2002 para 59,67 no ano passado.(Leia +)

Por Fabiane Schmidt, da Agência Saúde – ASCOM/MS

Conhecer os sintomas do infarto é essencial para evitar o pior

Quanto antes você procurar um hospital, menores são os riscos

As doenças cardiovasculares são líderes em morte no mundo, sendo responsáveis por quase 30% das mortes no Brasil. Dentre estas, o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) é a causa principal. De acordo com o Datasus, agência de controle de dados do governo, foram registrados 2028 óbitos por doenças cardiovasculares no estado de São Paulo apenas no mês de agosto de 2013. A mortalidade hospitalar por infarto agudo na internação é alta, e maior quanto mais demorado o tempo entre o início dos sintomas e o atendimento final. Os fatores de risco para o infarto são obesidade,hipertensão, colesterol alto, estresse, diabetes ou infartos anteriores. Homens na meia idade e mulheres após a menopausa são os mais afetados pelo problema.(Leia +)

Fonte: Minha Vida

Sete mudanças de hábito que contribuem para baixar o colesterol

Escolher peixe em vez de carne, por exemplo, pode mudar o rumo da doença

Embora a palavra colesterol tenha adquirido um sentido pejorativo, ele é um tipo de gordura indispensável para o funcionamento do nosso metabolismo e está presente em todas as células do corpo. O problema é que existem dois tipos de colesterol: o HDL, chamado comumente de bomcolesterol, e o LDL, o colesterol ruim. Em excesso, este último pode gerar diversas complicações para a saúde cardiovascular, podendo até levar à morte. Para evitar esses problemas, o Minha Vida reuniu sete dicas de hábitos que ajudam a prevenir ou - para aqueles que já receberam o diagnóstico - controlar a doença.(Leia +)

Fonte: Minha Vida

MOBILIZAÇÃO - Times aderem à campanha de combate ao AVC

Jogadores do Corinthians carregaram a faixa e os do Vitória vestiram a camisa alusiva à campanha de combate ao AVC durante partida no Estádio Barradão

A cada seis segundos, uma pessoa poderá sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Para alertar a população sobre este risco, o Ministério da Saúde, em parceria com as Secretarias Estadual de Saúde da Bahiae de Salvador, além da Academia Brasileira de Neurologia e Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares e Rede Brasil AVC, fechou parceria com os jogadores do clube de futebol Vitóriada Bahia e do Corinthians.

Neste domingo (03), em Salvador, durante a 32ª rodada do Campeonato Brasileiro contra o time paulista, o Corinthians, os jogadores da equipe paulista entraram em campo carregando a faixa da campanha de combate ao AVC e o time baiano entrou vestido com a camisa da ação, juntamente com outros profissionais da saúde empenhados nesta iniciativa. A partida aconteceu às 17 horas (horário de Brasília), no estádio Manoel Barradas, conhecido como Barradão, em Salvador (BA).(Leia +)

Por Maressa Ribeiro, da Agência Saúde – ASCOM/MS

EVIDÊNCIA - CLÍNICA MÉDICA

Av. Ismael J. Nascimento, 300-W
Parque das Mansões
Fones: (65) 3325-0300 / 9985-9158
Cep: 78300-000
Tangará da Serra - MT

CORPO CLINICO:

CARDIOLOGIA
Dr. Newton César Grassi
CRM-MT 3782

CIRURGIA GERAL
Dr. Antonio Mauro Elias Júnior
CRM-MT 4044

ORTOPEDIA E TRUMATOLOGIA
Dr. Ricardo Finamore
CRM-MT 4234

OTORRINOLARINGOLOGIA
Dra. Rafaela M. M. Finamore
CRM-MT 5082

Clínicas de Diagnóstico

CLÍNICA DOYON
MEDICINA DIAGNÓSTICA
Av. Tancredo Neves, 945-W
Jd. do Lago
Fone: (65) 3311-2000
E-mail: doyon@doyon.com.br
Site: www.doyon.com.br
Cep: 78300-000
Tangará da Serra - MT
+ Informações

ECHOS - DIAGNÓSTICOS E 
ULTRASSONOGRAFIA
Rua Júlio M. Benevides, 68-E - Centro
Fone: (65) 3311-1954
Cep: 78300-000
Tangará da Serra - MT
+ Informações