Exercícios que aliviam as dores causadas pelo salto

Fortalecer os músculos das costas e abdominal ajuda a combater o problema

Peça que não fica de fora do armário feminino, o sapato de salto alto, pode trazer muitos incômodos no final do dia. É só perguntar para qualquer mulher. Devido à posição que os pés ficam dentro de um sapato com salto, todo o peso do corpo é apoiado apenas na ponta dos pés, causando um desiquilíbrio em toda a musculatura do corpo responsável pela locomoção. "Toda estrutura articular e muscular, da planta dos pés até o inicio da cervical, sofre com o uso do salto alto", diz a fisioterapeuta Ana Claudia Rodrigues , do instituto Vita.

Um bom meio de acabar com esse problema é fortalecer os músculos responsáveis pelo equilíbrio corporal. "Além das pernas, é preciso fortalecer o que chamamos de 'core', que engloba a musculatura região central do corpo, como abdômen e lombar", explica a fisioterapeuta. Veja quais são os exercícios indicados pela fisioterapeuta e pelo professor de alongamento Luiz Carlos Freitas, da academia Reebok, para diminuir as dores provocadas pelo salto alto.

Fortalecimento da panturrilha (bipodal)

Talvez os músculos que mais sofram com o uso contínuo do salto alto seja os da panturrilha, também chamados de batata da perna. Segundo o professor Luiz Carlos Freitas, da academia Reebok, para fortalecer esses músculos, basta apoiar a ponta dos pés firmemente em um degrau, e deixar o peso do corpo sobre eles. Fazer três séries de 15 movimentos já ajuda a fortalecer esses músculos.

Fonte: Minha Vida

Pele: Um reflexo do nosso organismo

A nossa pele é um reflexo de como anda o nosso organismo. É como se fosse um ciclo: Bem por dentro, bem por fora!

A prisão-de-ventre, muito comum entre as mulheres, é um dos fatores que influenciam a falta de vitalidade na pele. Hoje em dia, é muito fácil sabermos o que ajuda ou não mantermos o ritmo do nosso organismo, então, sem desculpas!

Olheira, vasinhos, unhas fracas e lábios rachados por exemplo, também pode ser um mal adquirido do nosso organismo.

É claro que tem toda a questão genética, mas podemos fazer muito para obtermos uma pele irradiante. E a nossa alimentação é uma delas, então, vai aí algumas dicas:

- Chás verde, preto e branco combatem inflamações, como a acne;

- Quinua elimina as temidas olheiras;

- Alimentos cítricos com vitamina C, ajudam na diminuição da flacidez;

- Comer soja, para dar adeus a pés e calcanhares rachados;

- Frutas e verduras com pigmentação vermelha ajudam a prevenir rugas;

Fonte: Portal.net

Pressão Arterial Baixa


A pressão baixa não é uma doença e sim um sinal indicativo de que algo de errado está acontecendo com o nosso organismo.

O que é baixa pressão arterial?

Hipotensão é o termo médico para a pressão arterial baixa (inferior a 90/60), sem sintomas.

A leitura da pressão arterial aparece como dois números. O primeiro e maior dos dois é uma medida de pressão sistólica, ou a pressão nas artérias quando o coração bate e enche-los com sangue. O segundo número mede a pressão diastólica, ou a pressão nas artérias quando o coração descansa entre batidas.

Pressão arterial normal é geralmente na faixa de 120/80 (sistólica / diastólica). Em pessoas saudáveis, principalmente atletas, pressão arterial baixa é um sinal de boa saúde (coração e vasos sanguíneos) cardiovascular. Mas a pressão arterial baixa pode ser um sinal de um problema subjacente - especialmente nos idosos - onde ele pode causar o fluxo sanguíneo inadequado para o coração, cérebro e outros órgãos vitais.(Leia +)

SUS envia reforço para atenção a crianças indígenas

Ao todo, 15 profissionais farão busca ativa de casos de Doença Diarreica Aguda. Desde 15 de dezembro, equipes permanentes fazem atendimento.


Uma equipe técnica do Ministério da Saúde que reforçará as ações de atenção e investigação epidemiológica em população indígena na região de Santa Rosa do Purus (AC) chegou nesta sexta-feira (20), em Rio Branco. Os profissionais contribuirão para a busca ativa de casos de Doença Diarreica Aguda (DDA), que atingiu 70 crianças indígenas neste ano. Com as equipes permanentes, da Secretaria Especial de Saúde Indígena e da Secretaria Estadual de Saúde, que realizam a ação desde 15 de dezembro, serão 15 profissionais para atender essa população.

O grupo é composto por médicos, epidemiologistas, engenheiro, enfermeiros nutricionistas, farmacêutico, bioquímico e técnicos de saneamento e percorrerá as 46 aldeias que compõe a região. Esses profissionais fazem parte do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde, da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública, da Coordenação de Edificações e Saneamento Ambiental de Saúde Indígena e da Coordenação de Monitoramento e Avaliação da Saúde Indígena do Ministério da Saúde.

Os profissionais estão levando equipamento portátil para análise bacteriológica de água, sais de reidratação oral, 500 frascos de hipoclorito (para desinfecção da água), material para coleta de amostras para exame laboratorial e kit de teste rápido de rotavírus. Para o trabalho de campo, nesse primeiro momento, o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Purus está viabilizando até 15 fretes aéreos, que farão o transporte das equipes de saúde até o município de Santa Rosa do Purus. O número de fretes poderá ser ampliado, caso necessário. Além do deslocamento aéreo, há dois barcos do tipo “voadeira”, que deverão fazer o transporte rápido das equipes até as aldeias. Estes barcos têm a capacidade de transportar até 15 pessoas por vez.

Para garantir o apoio logístico, o DSEI também está alugando um barco com capacidade para 15 toneladas. A embarcação fará o suporte de cozinha, dormitório, gerador de energia e transporte de materiais. Completam a lista de insumos logísticos 1.500 litros de óleo diesel, para geradores e abastecimento e 3.000 litros de gasolina.

CASOS - Do total, 20 aldeias registraram casos da doença. Os sintomas predominantes são febre alta, vômito e diarreia. Quando abordados pelas equipes, os pacientes recebem atendimento e tratamento sintomático, com reidratação oral. Os casos mais graves são removidos para atendimento hospitalar.

Até o momento, cinco crianças internadas no Hospital da Criança (AC). Desde dezembro, foram registrados 12 óbitos, sendo dez provocados pela DDA. De acordo com dados preliminares das investigações, foram notificados pela Secretaria Municipal de Saúde 186 casos suspeitos de Doença Diarreica Aguda (DDA) - 70 neste ano -, no período de 4.12.11 (primeiro caso) a 14.01.12, sem determinação da causa.

INVESTIMENTOS: Em 2011, foram repassados R$ 6,4 milhões para o atendimento de mais de oito mil índios atendidos Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Rio Purus. Esse DSEI compreende o sudeste do estado do Acre, o Noroeste de Rondônia e parte do sudoeste do Amazonas. O DSEI é a unidade central do Subsistema de Atenção a Saúde Indígena, e é o gestor das atividades técnicas e administrativas visando à promoção e a reordenação da rede de saúde e das práticas sanitárias, com controle social.

A equipe do DSEI possui 392 profissionais. Desse total, no polo de Santa Rosa do Purus, a equipe multidisciplinar é formada por um médico, três enfermeiros, quatro técnicos de enfermagem, 13 agentes indígenas.



Fonte: Portal da Saúde

PREVENSÃO-Saúde oferece duas novas vacinas para crianças

A partir do segundo semestre, serão introduzidas as vacinas pentavalente e a pólio inativada. A campanha nacional contra pólio, com as gotinhas, será mantida


O Brasil está se preparando para a erradicação mundial da pólio. Neste ano, o país amplia o Calendário Básico de Vacinação da Criança com a introdução da vacina injetável contra pólio, feita com vírus inativado. A nova vacina será utilizada no calendário de rotina, em paralelo com a campanha nacional de imunização, essa realizada com as duas gotinhas da vacina oral. A injetável, no entanto, só será aplicada para as crianças que estão iniciando o calendário de vacinação.

Outra novidade para 2012 será a vacina pentavalente, que reúne em uma só dose a proteção contra cinco doenças (difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenza tipo b e hepatite B). Atualmente, a imunização para estas doenças é oferecida em duas vacinas separadas.

“Com a inclusão da pentavalente no calendário vacinal vamos reduzir uma picada nas crianças, diminuindo as idas aos postos de saúde”, explicou o ministro Alexandre Padilha. Ele reforçou ainda a participação dos laboratórios públicos na produção de vacinas no país. “O Ministério da Saúde tem como política fortalecer a capacidade nacional de inovação tecnológica de produção, não só em parceria com laboratórios públicos e com setor privado, mas também de atração de parceiros internacionais”, afirmou o ministro.(Leia +)


Município intensificará trabalhos de conscientização no combate à dengue

Intensificação na busca dos focos, no bloqueio dos casos e ação educativa junto à população são os pontos-chave nos trabalhos de combate à dengue em Tangará da Serra. A informação é da coordenadora da Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, Maria do Carmo de Lima.

Segundo ela, os trabalhos serão intensificados para que a curva descendente da doença se mantenha, conforme já verificado desde 2010, após o “boom” da dengue, em 2009, quando foram diagnosticados 2.195 casos. “Estamos atentos para evitar o aumento de casos e reduzir ao máximo os números da dengue em Tangará da Serra”, disse Maria do Carmo, que revela a notificação de três casos neste mês de janeiro.

Os maiores problemas, segundo a coordenadora, é o lixo, onde se constata a grande maioria dos focos de proliferação do mosquito transmissor da moléstia, o aedes aegypti. Na região central da cidade, há também problemas nas calhas.

Além dos trabalhos de bloqueio e busca de focos de infestação, a Vigilância em Saúde Ambiental prevê a realização de palestras educativas e informativas em escolas, empresas e nos bairros, além de blitze nos pontos de maior fluxo de pessoas, como na região central.

Fonte: Assessoria
Fonte: SMS

Ajuste o churrasco à sua dieta



Algumas carnes devem ser evitadas e a bebida alcoólica precisa de moderação
Quem não gosta de um churrasco no final de semana? Refeição favorita dos brasileiros, principalmente nas férias e em dias de sol, o churrasco guarda muitas armadilhas calóricas para quem está fazendo dieta. No entanto, com os cuidados adequados, é possível aproveitar uma refeição saborosa, riquíssima em diversos nutrientes e, o melhor, com poucas gorduras! Confira o que as nutricionistas aconselham e invista no churrasco amigo da sua dieta.
Cortes magros de carne vermelha
A nutricionista Camila Attademo, da Clínica Libert, explica que o miolo de alcatra é a melhor escolha quando o assunto é um churrasco saudável: "Além de saboroso, esse corte é o mais magro".
Porém, pelo fato de terem pouca gordura, essas carnes podem ficar muito secas depois de assadas, mas basta não esquecê-las na churrasqueira. Se você não resistir a carnes mais gordas, como a picanha e o filé mignon, retire a capa de gordura. "Também evite a costela suína e bovina, que são bastante gordurosas", explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, da PB Consultoria em Nutrição.
Minha Vida