Papanicolau apresenta até 60% de erro no resultado final

Doenças graves como câncer de colo podem não ser detectadas pelo exame ginecológico

Um dado divulgado pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) demonstra como é importante que mulheres realizem exames preventivos de forma regular. De acordo com a instituição, cerca de 60% dos exames de papanicolau feitos no país apresentam índices falsos no resultado final, ocultando doenças graves como câncer de colo de útero que, se detectadas em sua fase inicial, seriam tratadas com sucesso.

Farmacêuticos e médicos acreditam que a margem de erro é grande na etapa do exame visual, que se dá pela observação das células doentes nas lâminas que recebem o material colhido das pacientes. Quando feito de modo incorreto, a visualização de possíveis alterações fica comprometida. Por isso, o exame só é eficiente se feito rigorosamente todos os anos, pois, assim, doenças que não puderam ser detectadas em sua fase inicial podem ser diagnosticadas em anos posteriores.

Diante destes resultados, médicos e autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS), vêm buscando alternativas para minimizar o problema e melhorar o rastreamento do câncer de colo do útero que, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), é o segundo que mais mata mulheres no mundo. Alternativas como a combinação de papanicolau e inspeção visual com ácido acético (VIA) e a vacina contra o HPV são algumas das novidades que estão em análise pelos órgãos mundiais de saúde

Minha Vida

Fumantes têm QI mais baixo que não-fumantes

Jovens que fumam um maço de cigarros têm 7,5 pontos a menos de QI, diz estudo

Tabagistas têm menor índice de QI (quociente de inteligência) do que os que não fumam. E quanto mais cigarros fumados, menor é o QI do fumante. É o que mostra um estudo feito com mais de 20 mil recrutas militares israelenses. A pesquisa, realizada no Sheba Medical Center, em Israel, concluiu que homens jovens que fumam um maço de cigarros ou mais por dia têm 7,5 pontos a menos de QI do que aqueles que não fumam.

Entre os participantes da pesquisa, todos eles com 18 anos, 28% fumavam ao menos um cigarro por dia, 3% são ex-fumantes e 68% nunca colocaram um cigarro na boca. O estudo mostrou que a média do QI dos não-fumantes é de 101 pontos, enquanto os fumantes desde antes do serviço militar têm média de 94. O índice fica mais baixo conforme aumenta o número de cigarros fumados por dia; é de 98 pontos para aqueles que fumam entre um e cinco cigarros e 90 para aqueles que fumam mais que um maço. Quocientes entre 84 e 116 são considerados como inteligência mediana. A pesquisa não incluiu nenhum participante com desordem psiquiátrica, pois são dispensados do serviço militar.

Para os pesquisadores, os jovens tabagistas têm resultados de inteligência significativamente baixos, se comparados àqueles não-fumantes. A informação mostrou-se confiável, mesmo quando os estudiosos comparavam apenas aqueles com o mesmo nível sócio-econômico e de escolaridade.

Os militares não estavam autorizados a fumarem enquanto o teste era realizado, ressaltam os cientistas. É possível que os sintomas de abstinência possam influenciar nos resultados dos testes dos fumantes. Para resolver esse problema, foram analisados também os níveis de QI daqueles que fumavam a menos tempo, portanto tinham os sintomas da crise de abstinência reduzidos. Esses homens também atingiram uma nota mais baixa (97 pontos, em média). Indicando que a abstinência não é a causa da diferença.

O resultado do estudo não sugere que o fumo reduz o QI, mas sim que aqueles com índice mais baixo têm maiores chances de começar a fumar.

Minha Vida

Dicas para manter a resistência atlética e o bem estar

É possível correr com saúde, prevenir lesões antes, durante e depois de uma corrida

A todos os corredores e maratonistas amadores, os especialistas da Mayo dão dicas sobre como correr com saúde, prevenir lesões e alimentar-se e hidratar-se adequadamente antes, durante e depois de uma corrida.

1. Alongamento (Edsel Bittencourt, fisioterapeuta brasileiro de Maringá ? PR, que está na Mayo desde 1997, onde desenvolve trabalhos de fisioterapia esportiva e manual, explica a importância do alongamento para a prática esportiva)

- Alongamento, aquecimento e hidratação são sempre muito importantes antes de qualquer prática esportiva. Para a participação num evento importante, como uma maratona, é fundamental manter a mesma rotina executada durante o treinamento, usar o mesmo tênis e adotar a mesma alimentação e realizar os mesmos exercícios de alongamento.

- O alongamento deve ser executado suavemente, em todo o corpo, e seu objetivo é o de restabelecer a função e comprimento natural/funcional do músculo sem lesão de fibras.

- Antes de iniciar um programa de prática esportiva, é fundamental consultar um médico para uma avaliação geral e consultar um especialista para que seja desenvolvido um plano de treinamento adequado à condição física do corredor.

2. Prevenção de lesões (Scott Silvers, chefe do Departamento de Medicina de Emergência da Mayo dá dicas sobre como prevenir lesões relacionadas à corrida). Além do alongamento antes de uma maratona existem outras preparações básicas que energizam e protegem o corpo apropriadamente durante uma atividade de muita exaustão.

- Nas semanas anteriores a da corrida, diminua as distâncias percorridas, para assegurar um corpo forte e saudável.

- Nas duas ou três noites anteriores à prova, alimente-se com uma dieta com baixos índices de gordura e alto teor de carboidratos. Não prove nenhuma comida diferente, nem coma grandes porções na noite anterior à corrida

- Use roupa adequada: verifique o clima da manhã da corrida e se vista adequadamente ao clima. Proteja as partes sensíveis a lesões (como músculos). No dia da corrida não é para experimentar roupas ou calçados novos

- Durante a corrida, beba somente água para evitar problemas eletrolíticos (como baixa de sódio)

- Os iniciantes devem tentar manter a tranqüilidade ao iniciar uma prova. Por estar entusiasmado com a prova, é comum começar a corrida em ritmo bastante rápido e logo ficar sem energia. Desfrute do dia, das pessoas e de sua corrida!

3. Nutrição (Sherry Mahoney, diretora de Serviços Nutricionais da Clínica Mayo). Os nutrientes ingeridos antes de uma corrida são tão importantes quanto os que são consumidos durante e depois do evento.

- O glicogênio, a energia armazenada no fígado e músculos, é o combustível necessário quando se corre e deve ser reposto diariamente, com o consumo dequado de carboidratos. O armazenamento de carboidratos no organismo diminui durante o dia e enquanto se dorme. Os lanches ou refeições devem ser feitas até quatro horas antes de uma corrida. Alguns atletas chegam a acordar durante a noite que antecede o evento para comer e manter os índices adequados de glicogênio.

- A ingestão de carboidratos pode melhorar a capacidade de resistência. Para atletas, recomenda-se a ingestão de 6 a 10 g/kg/dia de carboidratos. Durante o treinamento, a ingestão de carboidratos deve ser aumentada para repor o glicogênio armazenado. Os atletas devem consumir entre 30 e 60g (120 a 240 kcal) de carboidratos a cada hora para melhorar a resistência. De uma a quatro horas antes do evento, os corredores devem consumir 1 a 4 g de carboidratos/kg para preencher os músculos e fígado com glicogênio.

- Existem diferentes tipos de carboidratos que podem ser consumidos, incluindo carboidratos líquidos, sólidos e gelatinosos. Há varias formas de carboidratos gelatinosos e sólidos que podem ser consumidos em movimento. Tente consumi-los durante o treinamento e no dia do evento. Durante o treinamento para a maratona, a ingestão de carboidratos deveria aumentar para repor o glicogênio armazenado.

- A reposição de líquidos e eletrólitos é fundamental quando se corre. Beba cerca de 4 a 8 ?goles? de líquido a cada 15-20 minutos. O sódio é um eletrólito que ajuda a manter o equilíbrio de água adequado em seu tecido corporal. Se nos exercitarmos por muito mais de uma hora, devemos consumir uma bebida de reposição de eletrólitos (bebida esportiva). Este tipo de bebida é principalmente recomendado para aumentar a absorção de água no intestino, mais do que para repor a perda de sódio.

- Recuperar-se depois de um treino de mais de uma hora, ou depois da maratona, é fundamental para o bem estar de um atleta e de sua capacidade para preparar-se para o próximo evento. Não há estudos conclusivos sobre o consumo de proteína nas refeições depois dos exercícios físicos proporcionar uma recuperação mais rápida do glicogênio e dos músculos. Um sanduíche com manteiga de amendoim e geléia com um copo de leite, por exemplo, pode ser uma boa refeição para a recuperação do atleta. O consumo de 100 gramas de carboidratos deve ser feito cerca de 30 minutos depois da maratona e ser repetido a cada duas horas, até cinco a seis horas depois da corrida, para a reposição adequada do glicogênio.

4. Hidratação (Dra. Jennifer Rotha médica Jennifer Roth, clínica geral, faz importantes recomendações sobre como hidratar-se antes, durante e depois das competições.). Adotar uma hidratação adequada é essencial para que qualquer atleta obtenha seu melhor rendimento.

- Os especialistas recomendam beber o suficiente para produzir urina amarela clara. Altos níveis de consumo de líquidos antes da corrida não implicam em maior rendimento. Não beba em excesso com intenção de se pré-hidratar.

- O Conselho Norte-Americano de Medicina Esportiva recomenda ?beber com moderação?, para deixar que ?sede o oriente?. Idealmente deve-se beber para repor o liquido que é perdido pelo suor. Um corredor adulto, em média pode beber de 150 a 340 ml a cada 15-20 minutos. Nunca se deve beber maior quantidade de líquido com o objetivo de ganhar peso durante uma corrida, que pode resultar numa super hidratação.

- O consumo excessivo de liquido pode conduzir a uma diluição do sódio no corpo, chamada hiponatremia. Os sintomas da hiponatremia são aumento de peso, náuseas, vômitos, dores de cabeça e tontura. As conseqüências mais graves da hiponatremia é o inchaço cerebral, que pode conduzir a um coma e à morte. Ao perceber estes sintomas, ou perceber que outro corredor pode estar apresentado estes sintomas, procure atendimento médico com urgência.

- Entretanto, não podemos ignorar a sede. O suor que não se repõe com líquidos pode terminar em desidratação, conduzindo a cólicas, baixo rendimento, força, resistência e aumento do risco de passar mal com o calor. É recomendado beber líquidos de acordo com a sede. - As bebidas energéticas são utilizadas habitualmente pelos atletas para ajudar em sua hidratação. Muitas bebidas esportivas têm carboidratos e algumas contêm eletrólitos. Os estudos não indicam diferenças entre as bebidas esportivas e a água no caso de uma hiponatrenia, em eventos de longa distância como maratonas e triatlos.

Minha Vida

Soneca à tarde melhora habilidades mentais, mostra pesquisa

Dormir uma sesta (a soneca do início da tarde) não apenas renova o cérebro como também melhora as habilidades mentais, afirma um estudo divulgado na conferência anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), ocorrida no fim de semana em San Diego, Califórnia (EUA).

"O sono tem efeitos reparadores após um prolongado período de vigília, mas também aumenta as capacidades neurocognitivas em comparação com as que existiam antes de dormir", disse Matthew Walker, professor de psicologia da Universidade de Berkeley e coordenador do estudo.

A pesquisa examinou 39 adultos jovens divididos em dois grupos: um deles dormiu a sesta e outro não.

Ao meio-dia, todos os participantes foram submetidos a exercícios mentais destinados principalmente a ativar o hipocampo, uma região do cérebro que ajuda a armazenar informações. Os dois grupos tiveram rendimento similar.

Às 14h, o grupo selecionado para a sesta dormiu por 90 minutos, enquanto os outros permaneceram acordados.

Mais tarde, às 18h, todos os participantes do estudo foram submetidos novamente a uma série de exercícios mentais, nos quais deveriam memorizar informações.

Os que ficaram acordados o dia todo tiveram queda de rendimento na comparação com os exercícios anteriores. Já os participantes que tiraram um cochilo registraram um rendimento consideravelmente melhor e também melhoraram as habilidades.

Os resultados apoiam a hipótese de que o sono é necessário para apagar a memória a curto prazo no cérebro e abrir espaço para novas informações, segundo Walker.

France Presse

Nem laser garante remoção total da tatuagem

Dependendo do tamanho e das cores, podem até ficar cicatrizes na pele

Se você faz parte da turma que decide por uma nova tatuagem num piscar de olhos, já que técnicas de remoção é o que não faltam, é melhor pensar duas vezes. Apagar o desenho da pele não é tão simples assim. Para retirar uma tatuagem de tamanho pequeno são necessários cerca de um ano de tratamento. Os custos e as dores também não são pequenos.

"Mesmo com as novas técnicas a laser, o trabalho para a remoção é enorme, principalmente, quando os desenhos são coloridos ou de tamanho grande. Em alguns casos, as cicatrizes ficam presentes e são praticamente impossíveis de serem retiradas", explica o dermatologista e especialista do site MinhaVida, Cesar Cuono.

No consultório médico
Existem 3 técnicas para apagar os desenhos, mas nenhuma delas garante o resultado 100% positivo.

O método do lixamento ou dermabrasão precisa de anestesia local, pois o especialista vai lixar a pele onde estão presentes os pigmentos de tinta. A técnica pode deixar a área mais clara e sem pelos e já não é mais tão utilizada. A remoção por meio de cirurgia, que elimina o pedaço da pele tatuada, está obsoleta por provocar muitas cicatrizes.

O laser é a técnica mais popular atualmente, mas, em alguns casos, não consegue eliminar completamente a tatuagem e pode deixar algumas marcas na pele.

"Os melhores resultados são obtidos com laser , porém, dependendo do desenho e das cores usadas, ele não garante um resultado perfeito", explica Cuono. "O preto e o azul escuro saem com mais facilidade, já o verde e o amarelo são bem mais complicados", diz.

Intervalo necessário
As sessões de laser só podem ser realizadas uma vez por mês já que agridem a pele . "As aplicações necessitam de um intervalo de 30 dias e podem ser dolorosas. Costumo dizer que o tratamento para retirada dói um pouco mais do que o processo para realizar a tatuagem", explica.

Cobrindo a tatuagem com uma outra
Para quem se arrependeu apenas do desenho, mas gosta do local e de tatuagens, uma dica é realizar o processo a laser para em seguida cobrir as cicatrizes com uma imagem diferente.

"A maioria dos casos de remoção é feita por pessoas que se arrependeram do desenho ou que escreveram o nome de um ex-namorado, por exemplo. É nesses casos que indico que a pessoa apague o desenho antigo e invista em uma nova tatuagem para encobrir as manchas. Mas é preciso esperar no mínimo dois meses para iniciar uma nova tatuagem após o tratamento", explica o dermatologista.

Quanto pesa no bolso
O preço das técnicas a laser são bem maiores do que para fazer a tatuagem, e variam de acordo com o tamanho e com a quantidade de aplicações. "Considerando que uma sessão custaria, em média, de R$1200 a R$ 1500 . Dessa forma , uma tatuagem pequena teria custo aproximado de R$ 14.400 ", diz Cuono.

Minha Vida

Saiba como driblar a vergonha na consulta com o ginecologista

Piadas e desabafos nem sempre são a melhor saída para aliviar constrangimentos

Quando o assunto é a visita ao ginecologista, a opinião da mulherada é quase unânime: é constrangedor ficar deitada naquela maca numa posição desconfortável e contando suas intimidades para o médico.

Se a situação já é estranha quando conhecemos o profissional há algum tempo, a coisa piora um pouco quando trocamos de médico e vamos passar por uma consulta pela primeira vez. Para quebrar o gelo e relaxar, muitas pacientes fazem brincadeiras que nem sempre encontram boa receptividade, transformando a consulta num show de constrangimento.

"Elas acham que olhamos a mulher com outros olhos e na verdade quem atende a paciente é o médico e não o cidadão", diz o ginecologista da Unifesp, Luiz Henrique Gebrim. "Entendo que é constrangedor para elas falar de suas intimidades, mas fazer consultas periódicas ainda é a melhor maneira de evitar doenças graves", continua ele. Por isso, o MinhaVida preparou um guia de dicas para ajudar você a se sentir mais segura na hora da consulta com o especialista.

Consultório médico não é show humorístico
Se a ideia é descontrair, demonstrar simpatia e sinceridade ajuda muito na hora da consulta. "A relação entre médico e paciente deve ser mantida na base da confiança. A paciente precisa confiar no profissional que a atende para não omitir nada que possa alterar o diagnóstico, porém, não dá para fazer do médico um amigo de piadas", diz o ginecologista Luiz Henrique Gebrim.

Levar o marido pode?
Isto depende muito da paciente. "Se ela vai se sentir mais segura com a presença do marido, não há problemas", diz o ginecologista.

Ginecologista não é psicólogo
É muito comum que as pacientes procurem o ginecologista para desabafar. Luiz Henrique Grebim explica que as mulheres se sentem mais fragilizadas quando o assunto é a vida pessoal. "Elas sentem necessidade de falar e daí os ginecologistas viram verdadeiros psicólogos de improviso. É difícil porque o médico precisa de jogo de cintura para mostrar para aquela paciente que o problema dela não é ginecológico, e sim emocional", explica.

O que devo ou não contar na hora da consulta?
Informações pertinentes são mais do que bem-vindas. "É importante saber se a vida sexual da paciente é ativa e se ela sente dores durante a relação sexual, por exemplo, mas não preciso saber detalhes do desempenho do parceiro, por exemplo", diz Luiz Henrique.

Como fazer para relaxar antes dos exames ginecológicos?
"Geralmente, as pacientes ficam inseguras por algum trauma de consultas anteriores ou por medo do diagnóstico, por isso, acho que a melhor maneira de fazê-las relaxar é conversar, entender seus medos e então, decidir quais métodos usar", explica Luiz Henrique. Para ele, é responsabilidade do médico de tornar a consulta mais agradável e amenizar os incômodos provocados pelos exames : "cabe ao médico perceber se a mudança no método vai ou não melhorar o atendimento daquela paciente. Às vezes, usar um dedo no exame de colo de útero e não os dois, pode trazer o mesmo resultado e não ferir a paciente", continua ele.

Como se livrar do desconforto que o exame de rotina causa?
Repouso e cuidado com a higienização são sempre importantes. "Não adianta nada passar a pomada, tomar remédios e depois sair pulando. O ideal é repousar um pouco", explica o ginecologista.

Minha Vida

Piercings na boca


O que é um piercing na boca?É qualquer tipo de piercing que pode ser na língua, nos lábios ou nas bochechas. Nos anos mais recentes, os piercings na região da boca têm se tornado uma forma de expressão individual. Como o piercing na orelha, os brincos e anéis de metal colocados na boca são de diferentes estilos e compreendem peças como pinos, tarraxas e argolas. Mas o piercing colocado na língua, lábios ou bochechas envolvem riscos maiores do que os colocados na orelha. Antes de perfurar qualquer parte, dentro ou fora da boca, converse com seu dentista.

Quais os riscos deste tipo de piercing?
É possível que você desconheça os efeitos colaterais que um piercing oral oferece. Estes efeitos são:

Infecção ? A boca contém milhões de bactérias que podem causar infeções depois de um piercing oral. Tocar as partes de metal depois de colocados na boca também torna maior o risco de se contrair uma infecção.

Sangramento prolongado ? Caso um vaso sangüíneo seja perfurado pela agulha durante o procedimento de colocação, pode haver um sangramento difícil de ser controlado com perda excessiva de sangue.

Dor e inchaço ? São sintomas comuns de piercing na boca. Em casos mais sérios, se a língua inchar demais, poderá fechar a passagem de ar e dificultar a respiração.

Dentes danificados ? O contato com a jóia pode danificar o dente. Dentes com restaurações - por exemplo, coroas ou jaquetas - também podem ser danificados pelas peças de metal.

Ferimento na gengiva ? As peças de metal não só podem ferir o tecido da gengiva que é sensível, mas também podem causar retração gengival. A retração gengival tem aparência desagradável e torna seus dentes mais vulneráveis a cáries e a periodontite.

Interferência com a função normal da boca ? As jóias aumentam a produção de saliva, impedindo que você pronuncie corretamente as palavras e também dificultam a mastigação.

Doenças transmissíveis pelo sangue ? O piercing da boca foi identificado pelo Instituto Nacional de Saúde como uma possível forma de transmissão da hepatite B, C, D e G.

Endocardite ? O piercing oral pode causar endocardite, que é a inflamação das válvulas e dos tecidos cardíacos. A ferida causada pela perfuração dá às bactérias da boca a oportunidade de entrar na corrente sangüínea, podendo chegar ao coração.

Quanto tempo dura um piercing?
Se você não contrair nenhuma infeção e seus piercings orais não interferirem com as funções normais da boca, podem ser usados de forma permanente. Mas, não deixe de ir ao dentista se sentir qualquer tipo de dor ou algum outro problema. Por causa dos riscos envolvidos mesmo depois que a ferida da perfuração desaparece (como é o caso de engolir peças soltas ou danificar os dentes), a melhor coisa é não fazer piercing oral.

Yahoo Saúde

Estafa pode desencadear doenças como hipertensão, fobias e gastrite

Também conhecida como fadiga, ela pode ter origem física ou emocional

Desânimo sem explicação aparente, dores no corpo, falta de motivação para continuar aquela atividade de que tanto gosta e uma vontade enorme de ir embora logo após chegar ao trabalho. Se você está com algum desses sintomas, fique de olho, pode ser estafa.

De origem emocional ou física, ela pode atingir crianças e adultos e compromete o desempenho na escola, no trabalho e na relação com as demais pessoas no dia a dia, tornando todas as atividades, antes prazerosas, em obrigações desgastantes e chatas. Por alterar todo o funcionamento do organismo, pode desencadear outras doenças como hipertensão, fobias e ansiedade, problemas cardíacos e gastrite. "Se você ficar acumulando tensões e cansaço, vai virar uma panela de pressão e uma hora ela explode e faz um estrago maior", alerta o fisiologista da Unifesp, Claudio Pavanelli.

"A estafa pode ser física (periférica) ou mental (central) e está muito ligada a rotina que o paciente leva, por isso, antes de prescrever qualquer medicamento, pergunto se ele tem dado conta de todos os afazeres que estão sob sua responsabilidade ou se ele está passando por algum problema afetivo, só assim é possível tratar o problema", explica Claudio.

Ai que cansaço!
Treino, caminhada, corre-corre com as crianças e muito cansaço. Mais popularmente conhecida como fadiga, a estafa periférica se caracteriza por dores musculares e cansaço físico ocasionados principalmente pela combinação entre desgaste excessivo (sem respeitar o tempo de recuperação) e pela má alimentação. "Não tem quem suporte esse ritmo frenético, é fadiga na certa", explica o fisiologista. "Nestes casos, o tratamento é uma mudança radical na rotina e na alimentação. Geralmente estas duas ações resolvem o problema", continua. "Se não for tratada, pode desencadear outras doenças como: anemia, prisão de ventre, diarreia e até queda de cabelo", diz Claudio.

Mente e corpo em equilíbrio
A forma mais comum da estafa é a fadiga mental. Caracterizada pela alteração do sistema nervoso central, ocorre em função do excesso de responsabilidades e tensões acumuladas que provocam um desgaste metabólico e mental muito grande. "O cansaço mental é tamanho que o paciente chega a sentir dor física. As pressões psicológicas se refletem no corpo", explica o fisiologista. "Neste caso, a melhor indicação é o relaxamento. É preciso rever a maneira como lidamos com os nossos problemas e frustrações. Às vezes, uma mudança simples de postura pode te livrar de um dano maior a saúde", continua.

"A estafa mental é muito mais grave do que a física porque tende a causar danos psicológicos e físicos. Caso não seja tratada adequadamente pode provocar doenças como: falha de memória, insônia, irritabilidade, desânimo, tristeza profunda e angústia", explica Claudio.

"O cansaço mental é tamanho que o paciente chega a sentir dor física". Estresse x estafa

Muita gente confunde, mas estafa e estresse são problemas diferentes. Algumas diferenças ajudam a diferenciar os dois quadros. A fadiga ou estafa é um sintoma do estresse, mas não a a sua causa. No estresse, a intensidade da fadiga é maior e a maneira como nosso organismo reage a estes sintomas é bem diferente. Enquanto a estafa pode ser tratada com mudanças de hábitos ou tratamento médico, o mesmo não ocorre com o estresse, uma espécie de estágio crônico das duas formas de fadiga. "O grau de irritabilidade e da dor sentida no estresse é maior, além disso, o estresse é muito mais mental do que físico, por isso, não adianta usar os mesmos procedimentos. É uma questão de intensidade e durabilidade da fadiga", explica Claudio.


Estafa central ou mental

Sintoma
- Falha de memória;
- Insônia;
- Irritabilidade e choro com facilidade;
- Desânimo;
- Tristeza e angústia;
- Azia, má-digestão;
- Palpitação;
- Diminuição do desejo sexual

Tratamento
Relaxar é o lema para curar a estafa. "Muitas vezes o tempo que se "perde" indo ao cinema ou em um parque, por exemplo, é um ganho de saúde e bem-estar.

É melhor parar agora do que perder o controle depois", alerta o fisiologista.

- Saiba aproveitar os momentos de lazer;

- Converse sobre os problemas com os amigos ou com um profissional;

- Cultive o bom humor;

- Aprenda a relaxar;

- Não faça várias tarefas ao mesmo tempo;

- Procure resolver um problema de cada vez;

- Organize suas prioridades;

- Não leve preocupações do trabalho para casa;

Estafa periférica ou física

Sintomas
-Dores no corpo
-Apatia
-Baixa resistência imunológica
-Distensão muscular Tratamento
-Pratique atividade física com moderação
-Respeite o ritmo de seu corpo
-Procure ter uma alimentação balanceada e saudável

Algumas doenças causadas tanto pela estafa mental quanto pela física:
- Hipertensão arterial (pressão alta)
- Doenças emocionais (ansiedade, pânico, fobias)
- Doenças gastrointestinais (colite, gastrite e úlcera)
- Doenças do coração (arritmia, angina e infarto)

Minha Vida

Vida saudável pode evitar 60% dos casos de câncer

Alimentação, atividades físicas e controle do peso reduzem riscos de tumores

Ao longo dos anos, os avanços na luta de combate contra o câncer mostram que a doença pode ser tratada, controlada e curada. E, mais importante ainda, pode ser prevenida. Cerca de 60% dos casos de câncer podem ser evitados a partir de hábitos de vida saudáveis, de acordo com Instituto Nacional de Câncer (INCA), que lançou recentemente a publicação Políticas e Ações para Prevenção do Câncer no Brasil: Alimentação, Nutrição e Atividade Física. A Organização Pan-americana de Saúde lançou o mesmo sumário para a América Latina, na versão em espanhol.

A publicação mostra que a melhor estratégia para a prevenção do câncer é aliar um alimentação equilibrada, a prática de exercícios físicos regulares e manter o peso controlado. Tais medidas são capazes de prevenir 63% dos casos de câncer de faringe, laringe e boca; 52% dos casos em que a doença atinge o endométrio (camada que recobre o útero internamente) e 60% dos tumores de esôfago.

O estudo também concluiu que 41% dos tumores no estômago, 37% dos de cólon e reto (partes do intestino grosso) e 34% dos tumores de câncer no pâncreas não aconteceriam se houvesse a combinação dos três fatores. De todos os tipos de tumores, 19% poderiam ser evitados com uma vida mais saudável. O controle do peso pode ser capaz de evitar 13% desses tipos de câncer. Entretanto, uma pessoa obesa que se alimenta bem tem menos riscos de desenvolver um câncer do que aquela que se alimenta mal.

Afaste os riscos da doença Outros hábitos saudáveis podem contribuir para a prevenção do câncer, como não fumar (segundo o Inca, o banimento total do fumo poderia ter combatido mais de 112 mil casos neste ano). Também é fundamental não exagerar nas bebidas alcoólicas, fazer os exames recomendados com assiduidade, fugir da exposição solar e cuidar da higiene bucal (para evitar o câncer de boca).

Os casos de câncer de mama, que tem maior incidência entre mulheres brasileiras, podem ser reduzidos em 28% por meio de uma dieta saudável somada às atividades corporais. No Brasil, sua taxa de mortalidade é de 24%; nos Estados Unidos ela cai para de 15%. Entretanto, mesmo que não possua causas hereditárias, nem sempre é possível preveni-lo, tendo em vista que a idade da primeira menstruação e da menopausa influenciam nas chances de a doença aparecer. De acordo com o Inca, o câncer de mama deve fazer 49 mil novas vítimas ao longo de 2010, com 12 mil mortes.

Minha Vida

Terapia do Elogio


Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde se nota que os membros das famílias brasileiras estão cada vez mais frios, não existe mais carinho, não se valoriza mais as qualidades, só se ouve críticas.
As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se desgastam valorizando os defeitos dos outros. Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.

A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda. Não vemos mais homens elogiando suas mulheres ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando, amigos que fazem elogios.

Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que, por consequência, são pessoas que têm a obrigação de cuidar do corpo, do rosto e sempre se apresentar bem.

Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias.
A falta de diálogo nos lares, o excesso de orgulho, impedem que as pessoas digam o que sentem, levando assim essa carência para dentro dos consultórios médicos. Acabam com seu casamento porque procuram em outras pessoas o que não conseguem em casa.

Vamos valorizar nossas famílias, amigos, alunos, mestres, subordinados.
Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a ética, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras, a sinceridade, a lealdade, a confiança, o comportamento de nossos filhos.

Vamos observar o que as pessoas gostam.
O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser reconhecidos, o bom amigo, a boa dona de casa, a mulher que se cuida, o homem que se cuida, enfim, nós todos vivemos numa sociedade em que um precisa do outro, em que é impossível viver sozinho, e os elogios são a motivação da nossa vida.

Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje, elogiando-as de alguma forma?
Declarando-lhes amor, agradecendo a companhia, elogiando seu trabalho, sua maneira de ser!

DIGA AGORA A SEUS AMIGOS:

FOI MUITO BOM CONHECER VOCÊ!

Arthur Nogueira (Psicólogo)

Homens também se preocupam com a própria imagem

Cada vez mais eles aderem aos tratamentos estéticos

O homem moderno cuida mais de sua imagem pessoal. Lhe agrada sentir-se desejado pelo sexo oposto e admirado por seus pares. Cada dia mais os homens procuram as academias de ginástica, centros de estética e SPAs, além dos consultórios médicos para melhoria de suas peles, saúde e aparência. A calvície, a obesidade e flacidez corporal e acne são as principais preocupações estéticas masculinas.

Algumas diferenças fundamentais entre a pele masculina e feminina devem ser salientadas:

- A derme e epiderme dos homens são 24% mais espessas e o extrato córneo (camada que proteje a pele mais externamente) tem mais camadas;

- Proporcionalmente possuem mais número de fibras colágenas e menos elastina;

- O biotipo cutâneo se define a partir dos 18 anos e declina aos 60 anos;

- As glândulas sebáceas e sudoríparas são mais abertas e maior número;

- Os orifícios pilo sebáceos são mais dilatados;

- Têm o filme hidrolipidico mais abundante devido a influencia dos hormônios masculinos como andrógeneos;

- Por causa dos andrógeneos é comum que sofram mais de acne e alopécia (queda de cabelos e calvície).

A pele acneica:
O tratamento da pele acneica masculina consiste :

Higienização com espuma de limpeza e acido glicólico 4%
Dermoabrasão com peeling de cristal ou diamante ou sabonetes esfoliantes
Pincelar com acido glicólico a 15% e neutralizar com água e leite de aveia associado aos óleos essenciais
Extração dos comedões abertos e assepsia (limpeza da pele)
Máscara descongestiva por 15 minutos
Protetor solar em base gel para evitar a oleosidade

Os cuidados em consultórios e clinicas serão particularizados após terem sido classificados em graus e seqüelas da acne, ou seja, o profissional determinará a necessidade ou não de uso de antibióticos orais, peelings químicos, antissépticos, laser e ate a isotretinoina, conhecida como roacutan.

Alem dos fatores androgênicos, os emocionais como stress, depressão, ansiedade produzem uma queda imunológica com perda de nutrientes e diminuição da irrigação capilar tendo como conseqüência a queda e morte precoce do folículo piloso. Nestes casos é que se recomenda uma boa alimentação a base de frutas e verduras.

A alopécia androgênica pode se manifestar se depois da adolescência pela participação da testosterona e da 5 alfa redutase e 5 alfa dihidrotestosterona que tem sítios de união na raiz do cabelo e em toda área frontal da cabeça dos homens. O cabelo então não tem força e cai. Assim , o mais adequado é que se consulte o medico que avaliará substancias que poderão bloquear estes hormônios. O tratamento basea se nas causas. A opção clinica incluímos:

Mesoterapia: injeções intradermicas de substancias que promovem um aumento da circulação do folículo pilos e estimulo direto para crescimento destes
Aplicações de medicamentos tópicos com este mesmo fim
Uso de medicamentos orais comprovadamente eficazes para diminuição de queda e da seborréia
Carboxiterapia: infusão de gás anidrocarbonico que promove uma maior capilarizaçao do folículo piloso

A opção cirúrgica mais eficaz é o microtransplante capilar. Uma cirurgia simples de riscos mínimos e os cabelos transplantados permanecerão por toda vida.

Conselhos para cuidar dos cabelos:
Lavá-los com freqüência
Não usar gel
Aplicar shampoo adequado para cada tipo de cabelo
Se usar secadores, utilize os de temperaturas mais baixas
Evitar tinturas
Cortar os cabelos regularmente para ter uma higienização mais adequada
As massagens capilares podem modificar a informação genética da raiz do cabelo. Porém, não se tem certeza que a massagem capilar contribui efetivamente para deter a queda de cabelos por causas emocionais e que ative a irrrigação sanguínea do couro cabeludo.

Dr Claudio Mutti - Dermatologia

Você pensa que energético é água? Mitos e verdades da bebida


Eles deixam o corpo mais acelerado, mas depois o cansaço vem em dobro

Para enfrentar a agitação da balada ou para espantar o cansaço de uma noite mal dormida. Estes são apenas dois dos motivos para o consumo de energéticos, os hoje chamados de "refrigerantes para adultos".

Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas não Alcoólicas, entre julho e dezembro de 2008, o consumo destes produtos no Brasil foi de 11,7 milhões de litros.

No mesmo período de 2009, esse número já era de 17,3 milhões, um salto de 48,5%. Geralmente associada à festas, noitadas e a mistura com bebidas alcoólicas, a bebida produzida à base de substâncias estimulantes, que dão mais pique ao organismo durante um determinado período, também vem sendo relacionada a hábitos de vida saudáveis, como a prática de esportes.

No Brasil, uma das cinco marcas que disputam o mercado nacional, a TNT, é patrocinadora de 16 atletas olímpicos brasileiros. Seu representante mais notório é o nadador César Cielo, campeão olímpico e recordista mundial dos 50 metros livres.

Mas será que os energéticos são benéficos para a sua saúde? Ou, pelo contrário, podem trazer consequências ao organismo? E será que viciam? Numa competição, pode dar dopping? A lista de dúvidas que rondam os tais "refrigerantes" é grande. Para responder estas e outras perguntas sobre a bebida, o MinhaVida conversou com um time de especialistas no assunto.

A seguir, o fisiologista especializado em medicina esportiva, Jorge Zogaib, o personal trainer Edson Ramalho, as nutricionistas Roberta Stella e Patrícia Ramos e o clínico geral Flavio Tocci falam sobre os pontos positivos e negativos dos energéticos.

Energéticos são bebidas à base de cafeína e outras substâncias estimulantes, como a taurina e a glucoronolactona, que potencializam a resposta do cérebro aos estímulos, deixando o corpo mais ativo ou acelerado.

Sua fórmula faz com que a pessoa se sinta revigorada durante algumas horas o que causa uma disposição aparente. Mas a ação dos energéticos também tem efeito rebote para o organismo.

"É um meio falso de restabelecer o pique. Passado o efeito, você fica ainda mais cansado e sente os efeitos do estresse muscular", explica o fisiologista Paulo Zogaib.

Quando consumidas em excesso, as substâncias estimulantes causam ansiedade, agitação, cefaleia e, em alguns casos, apresentam grau de toxidade questionável, como a taurina e a glucoronolactona. "São substâncias que alteram o funcionamento de nosso organismo de forma brusca, por isso devem ser ingeridas com moderação e certa cautela", diz Zogaib.

Um energético hidrata o corpo?

Não, pelo contrário, é uma bebida diurética, que faz o organismo eliminar líquido. Segundo a nutricionista Roberta Stella, a principal característica dos energéticos é aumentar a resistência física devido à presença, principalmente, da cafeína. "Eles não foram desenvolvidos visando à hidratação e, por isso, não devem ser consumidos com esta finalidade, sendo necessária a ingestão de água para obter uma boa hidratação", explica.

Por que a combinação com álcool é perigosa?

Quando são consumidos em combinação com álcool, os energéticos provocam aumento da adrenalina, palpitações, suor e dependendo da quantidade ingerida, podem levar à desidratação já que os dois são diuréticos. Segundo Paulo Zogaib, a combinação do energético com o álcool é perigosa, porque leva a excessos de ingestão de ambas as substâncias.

"O álcool é um depressor do sistema nervoso central (ele retarda as respostas do cérebro aos estímulos), enquanto o energético é um estimulante, por isso, quando ingerimos álcool é preciso aumentar a dose de energéticos para se alcançar o efeito de euforia. A pessoa que bebe a mistura fica mais acelerada pela ação do estimulante e mais corajosa pela ação do álcool, o que pode ser perigoso", afirma o fisiologista Paulo Zogaib.

O energético tem a mesma função dos isotônicos?

Não. Para a nutricionista Patrícia Ramos, esta é uma substituição perigosa que pode levar a problemas mais sérios como a desidratação. De acordo com uma pesquisa realizada pela Unifesp, em dezembro de 2009, 20% das pessoas que bebem energéticos os consomem nas academias como se fossem isotônicos.

Os energéticos foram criados para amenizar a sensação de exaustão e cansaço, enquanto os isotônicos têm o objetivo de repor a água e os sais minerais que perdemos após uma atividade. "Os energéticos aceleram nosso cérebro e nossas funções, camuflando a sensação de cansaço. Já os isotônicos repõem nutrientes importantes. Trocar um pelo outro pode comprometer a saúde e o desempenho de quem não está atento a estas diferenças", explica Patrícia.

Faz mal tomar o energético em jejum?

O risco de tomar um estimulante em jejum está ligado a absorção de suas substâncias pelo organismo. "Um energético ingerido em jejum pode comprometer as funções do estômago e de todo o aparelho digestivo, além de potencializar os efeitos da bebida na medida em que sua absorção se torna mais rápida e os efeitos mais intensos", explica o fisiologista.

Tomar só energético, sem combinar com álcool, pode prejudicar a saúde?

O clínico geral explica que os energéticos, quando consumidos sozinhos, também fazem mal e que, apesar de serem muito mais perigosos quando combinados com bebidas e outras substâncias, acabam comprometendo a saúde, mesmo quando consumidos isoladamente, em função da alta dose de cafeína e de outros estimulantes.

Eles prejudicam o sono?

Sim. Em um primeiro momento você perde o sono e fica acelerado, porém, segundo Paulo Zogaib, acabado o efeito, o organismo precisa compensar as horas de sono perdidas e daí a pessoa tende a dormir mais. "Você fica agitado por umas horas e não dorme, depois, dorme demais para compensar o tempo perdido", explica.

Há interações perigosas com medicamentos?

Sim. O resultado da combinação de energético com medicamentos pode ser bastante prejudicial ao organismo. Se a pessoa já tem algum problema de saúde, tende a piorar. O uso isolado de estimulantes já altera as funções do organismo. "Se o remédio também for estimulante, por exemplo, poderá haver uma inibição de seu efeito", diz Zogaib.

Vicia o organismo a ponto de perder o efeito?

Sim. Assim como os demais estimulantes químicos (cafeína ou drogas, como a cocaína, dentre outros), eles deixam de fazer efeito se tiverem o uso for contínuo e a pessoa passa a ingerir quantidades cada vez maiores para obter o mesmo resultado. "Isso varia muito de pessoa a pessoa, mas em geral, o corpo acostuma e pede cada vez mais. Vira um círculo vicioso grave", explica Paulo.

Criança pode tomar? Por que é chamado de refrigerante para adultos?

Segundo o clínico geral Flávio Tocci, os energéticos são assim conhecidos porque apesar de não serem alcoólicos, apresentam uma dose alta de cafeína e de substâncias com nível toxicológico questionável, e o organismo de uma criança não está preparado para receber tamanhas doses. "Se um adulto já fica acelerado, imagine uma criança. Ela pode apresentar tremedeira, ficar nervosa e muito acelerada. Não é apropriado", explica.

Tem limite de consumo? Pode consumir todo dia?

Não deve ser consumido todos os dias, principalmente substituindo sucos, água ou refrigerantes tradicionais nas refeições. O clínico geral Flávio Tocci explica que não há nenhuma indicação positiva comprovada em relação aos energéticos e que ingeri-los uma ou duas vezes na semana não faz mal, mas que consumir este tipo de bebida todos os dias pode trazer complicações, assim como ocorre com a ingestão excessiva de qualquer outro estimulante.

Flávio explica que a quantidade exata permitida depende do organismo e da receptividade de cada pessoa, mas que, em geral, deve-se manter cautela com o consumo destas bebidas. "Tudo o que altera o funcionamento do nosso organismo deve ser consumido com moderação", continua.

Atleta pode consumir? Dá dopping? O treino rende mais após tomar um energético?

De acordo com o personal trainer, Edson Ramalho, o rendimento físico de qualquer pessoa aumenta depois da ingestão deste tipo de bebida:

"A pessoa rende mais por que os energéticos aumentam a frequência cardíaca e a temperatura do corpo, melhorando a resistência e a performance do atleta", explica o personal. Porém, Edson explica que apesar de serem liberadas pelo Comitê Olímpico, as substâncias que compõem os energéticos, quando ingeridas em excesso, podem caracterizar dopping.

"Eles são vistos como bebidas naturais, mas a quantidade ingerida poderia caracterizar dopping se os seus membros entendessem que o atleta fez uso destas substâncias intencionalmente para render mais na competição", explica Edson.

Dá para tomar pensando em rebater os sintomas da gripe, como o cansaço?

Para o clínico geral Flávio Tocci, os energéticos podem comprometer a recuperação de um paciente com gripe ou com algum outro problema, se consumidos em excesso: "O problema é combinar energético e remédios e acelerar um organismo que já está mais debilitado. Não faz mal se for consumido uma vez ou outra, mas quando o paciente apresenta qualquer problema de saúde, deve tomar cuidado para não agravar ainda mais seu estado", explica.

O energético engorda?

A nutricionista Roberta Stella explica que os energéticos contêm valor calórico semelhante a quantidade de um copo de refrigerante ou suco de laranja e, por isso, quem deseja emagrecer deve consumir com moderação.

Por Natalia do Vale - Minha Vida

Caminhada reduz níveis de pressão arterial por até 24 horas

Redução é mais expressiva nas pessoas com pressão elevada

Para afastar o perigo da hipertensão, aposte nas caminhadas. Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da USP, comprovou que a caminhada reduz a pressão arterial na primeira hora e, o que é melhor ainda, essa queda se mantém nas 24 horas subsequentes.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, no Brasil, são 27 milhões de hipertensos com mais de 18 anos e 2 milhões de crianças e adolescentes que enfrentam o problema.

A pesquisa teve início em julho de 2008 e terminou em outubro de 2009. Foram avaliados 1000 voluntários com idade entre 60 e 75 anos, faixa etária do presidente Lula, que sofreu uma crise hipertensiva recentemente.

Hipertensão atingirá 1,5 bilhão de pessoas em 2025 Inicialmente foram selecionados 10% dos idosos como amostragem representativa. Os participantes realizaram uma sessão intensa de 40 minutos de caminhada, seguida de uma sessão de repouso também de 40 minutos.

Os resultados apontaram que a redução é mais expressiva naqueles com pressão arterial elevada e menor naqueles com pressão arterial normal. O diferencial do estudo, segundo os pesquisadores, é o fato de ter sido analisado o impacto do exercício aeróbico em pista, na modalidade caminhada, e não em esteira e bicicleta ergométrica, como era feito até então.

Após uma única sessão desse exercício aeróbico, em média, a pressão arterial sistólica, que é o valor mais alto e mede a força do sangue nas artérias, quando o coração se contrai para impulsionar o sangue através do corpo, caiu 14 milímetros de mercúrio (mm Hg) e a pressão arterial diastólica, número inferior que mede a pressão enquanto o coração relaxa para se abastecer de sangue, caiu 4 milímetros, ou seja, de 13 por 9, por exemplo, passou para 11 por 8. E, após 24 horas, essa pressão continuou reduzida em 3 milímetros na pressão sistólica e 2 milímetros na diastólica.

Os pesquisadores explicam que a prática contínua de exercícios pode levar à diminuição gradativa e até ao não uso de medicamentos para os hipertensos leves e, ainda ser um método coadjuvante no tratamento com medicamentos nos casos mais graves.

Hipertensão entre idosos

Segundo o médico geriatra Eduardo Ferrioli, professor da FMRP, que participou do estudo, a pressão arterial é uma das doenças de maior prevalência entre os idosos, chegando a quase 50% de alcance na faixa etária. Para ele, uma das causas do agravamento dos casos é o estresse diário.

"Uma rotina mais tranquila e hábitos saudáveis, como diminuir a quantidade de sal e manter o peso, ajudam muito no controle e até para a cura da hipertensão", explica.

Minha Vida

Tratamento à base de luz solar promete controlar a caspa

Actinoterapia trata os fios à base de luz solar e diminui oleosidade excessiva dos fios

A caspa é a manifestação visível de que alguma coisa não vai bem com o couro cabeludo. A doença, que não é contagiosa, ocorre em ambos os sexos, é agravada pela baixa frequência de lavagem dos cabelos, e pode piorar com banho quente, transpiração, estresse, infecções, fadiga e alimentação gordurosa, ajudando no desenvolvimento de microorganismos como bactérias e fungos.

Um péssimo hábito das pessoas que tem caspas é achar que o problema é fácil de ser curado, ou que qualquer produto usado por um colega pode ter o mesmo efeito para ele. Um engano para quem pensa dessa forma. A caspa, quando em casos mais graves, pode estimular a queda de cabelo e causar, até mesmo, a alopecia androgênica, ou seja, a calvície.

E é justamente com esse tipo de pensamento que os pacientes investem na automedicação. Atualmente, por exemplo, existe uma quantidade enorme de xampus que prometem verdadeiros milagres contra a caspa, iludindo consumidores. Por isso, os especialistas advertem para não se deixar levar por propagandas enganosas.

Qualquer fabricante que diz acabar definitivamente com a caspa pode não cumprir essa promessa, pois isso depende da gravidade de cada caso. Há uma série de medidas que devem ser tomadas. A caspa é uma doença controlável, mas raramente tem cura. Os produtos oferecem apenas um controle dos sintomas. O ideal é procurar um dermatologista para fazer uma avaliação, e só usar xampu, ou tratamentos a base de extrato de Juniperus, Piritionato de Zinco, ou Cortiesteroides recomendados por um profissional.

Outras opções de tratamento que também podem piorar a caspa são as famosas receitas caseiras. Polpa de babosa, folha de louro, sal, limão, vinagre de maçã entre outros recursos podem somente causar irritações e não representam a solução do problema. O limão, em particular, pode provocar manchas e queimaduras no couro cabeludo, quando usado pelo paciente com caspa, que se expõe ao sol, já que a fruta é um foto sensibilizante.

A chave no sucesso para eliminar a caspa é conseguir regular a produção do óleo no couro cabeludo. Cada caso é um caso, por isso cada procedimento vai depender da evolução da doença em cada paciente. Um dos métodos recomendados é a Actinoterapia. O tratamento é realizado através de lâmpadas específicas que tratam os fios à base de luz solar, pois age diretamente nas glândulas sebáceas, diminuindo a oleosidade excessiva dos fios. Sua ação é dermoabrasiva, ou seja, faz uma espécie de peeling, que limpa e esfolia, removendo células mortas e o excesso de gordura no couro cabeludo. As sessões melhoram a irrigação sanguínea, fortalecendo os fios que estão nascendo, já que retira a gordura que impede o crescimento de novos fios. Além de ajudar a liberar um número maior de endorfina, dando uma sensação de bem-estar ao paciente. A liberação desse hormônio diminui o stress, um dos agentes causadores da queda de cabelo.

Conteúdo por:
Dra Izilda Peres Penteado
Especialidade: Geriatria

Vinho tinto aumenta desejo sexual da mulher

A libido aparece com força depois de uma taça da bebida

O poder afrodisíaco do vinho tinto pode ser comprovado depois de uma nova pesquisa realizada pela Universidade de Florença (Itália), que indica que a bebida serve como ativador do desejo sexual feminino. O estudo aconteceu com cerca de 800 mulheres que responderam questões ligadas ao consumo do vinho e à rotina sexual. De acordo com os pesquisadores, as mulheres responderam um questionário com 19 perguntas relacionadas a sua sexualidade e todas foram analisadas como sexualmente saudáveis, sem apresentar problemas como frigidez, por exemplo.

O resultado mostrou que aquelas participantes que consumiram uma ou duas taças da bebida por dia apresentam um desejo sexual muito maior do que aquelas que não consumiram nenhuma dose de vinho tinto, de acordo com as respostas do questionário.

Porém, os cientistas afirmam que a qualidade do sexo e a quantidade de orgasmos não apresentaram mudança significativa, mostrando que a bebida influencia somente o desejo da mulher e não os resultados na hora do sexo.

Por Minha Vida